A SpaceX anunciou que está estudando uma “correção” para seus satélites da constelação StarLink, para evitar que seu brilho prejudique observações astronômicas.

Segundo Gwynne Shotwell, presidente e COO da empresa, um dos 60 satélites que serão lançados neste mês terá um revestimento especial para reduzir seu brilho. A idéia é evitar que os satélites prejudiquem em observações astronômicas, onde podem ser vistos como linhas brilhantes, ou que sejam confundidos com OVNIs por pessoas desavisadas.

publicidade

A executiva afirma que não há certeza de que o revestimento irá funcionar, e que a empresa irá usar o método de “tentativa e erro” para descobrir a melhor forma de resolver o problema.

Uma preocupação é que o revestimento prejudique o desempenho do satélite, já que tornar um objeto mais ou menos reflexivo altera suas características térmicas, o que pode mudar a forma como o equipamento se comporta no espaço.

Em 2020 a SpaceX pretende lançar lotes de 60 satélites a cada 2 ou 3 semanas para completar a constelação Starlink, que até meados do ano deve contar com 1.584 satélites e começar a oferecer um serviço global de conexão à Internet.

Quando completa, a Starlink contará com 12 mil satélites. Mas a SpaceX já tem planos para expansão, e recentemente solicitou permissão para lançar mais 30 mil.

Fonte: SpaceNews