EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Dr. He Jiankui chocou o mundo ao ter criado bebês modificados geneticamente com a premissa de eles serem resistentes ao vírus HIV. Agora, aproximadamente um ano após o seu feito, o doutor terá que responder por suas ações nesse caso.

Nesta segunda-feira (30), um tribunal da China condenou o Dr. He a três anos de prisão por ter realizado medicina ilegal. O julgamento, que foi realizado de forma fechado ao público, considerou o doutros cuplado de ter falsificado documentos de recrutamento, que alegavam ter um homem com HIV e uma mulher sem o vírus.

publicidade

Em sua defesa, o Dr. He alegou que estava tentando impedir a propagação do HIV em recém-nascidos, mas a mídia estatal considerou que ele estava enganando as pessoas e, também, outras autoridades médicas. Ainda na segunda-feira, a mídia estatal chinesa também constatou que existia um terceiro bebê modificado geneticamente, que até então não havia sido revelado.

O Dr. He, por sua vez, se declarou culpado e acabou sendo multado em U$ 430.000,00, de acordo com a Xinhua. Já os cientistas Zhang Renli e o Qin Jinzhou, acusados de conspirar com o Dr. He, também receberam sentenças de prisão que variam de dois anos até dois anos e meio.

Para chegar a tal veredito, o tribunal considerou que os réus estavam em busca de alcançar fama e lucro violando regulamentos nacionais importantes da pesquisa científica e médica, ultrapassando limites éticos.

A China não possui leis regulamentares em relação a edição de genes, embora a prática seja bastante contestada. Além dos problemas causados em seu país, cientistas americanos, que conheciam os planos do Dr. He também estão sendo investigados por possíveis participações nesse projeto.

publicidade

Fonte: The New York Times