EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Em resposta a uma petição enviada à  Administração Nacional de Segurança no Trânsito de Rodovias dos Estados Unidos (NHTSA), a Tesla emitiu um comunicado afirmando que não é verdade que seus veículos estejam sofrendo com uma “aceleração inesperada e repentina“. A empresa afirma que as acusações “completamente falsas” foram feitas para manipular o valor das suas ações no mercado.

Em seu comunicado, a Tesla identifica o criador da petição como Brian Sparks, um investidor independente que “atualmente está vendendo ações” da companhia. “Investigamos todos os incidentes. Em todos os casos em que tínhamos os dados do veículo, confirmamos que o carro funcionava como projetado”, afirma a empresa.

publicidade

Qualquer civil pode enviar uma petição à NHTSA solicitando investigação sobre um suposto defeito de segurança. Depois de realizar uma análise técnica, o Escritório de Investigação de Defeitos da agência informa o peticionário se eles avançarão com uma apuração aprofundada. A petição abrange veículos Tesla Model S (modelo 2012-2012), Model X (2016-2019) e Model 3 (2018-2019), registrando 127 reclamações de consumidores, 123 veículos exclusivos e 110 acidentes.

A Tesla tem histórico com a NHTSA. Em novembro de 2018, a empresa solucionou uma ação coletiva de clientes que alegaram que seus veículos, dos modelos S e X, aceleravam repentinamente sem aviso. Outra ação judicial foi em 2019, por Mena Massoud, atriz de Aladdin, que alegou que uma suspensão com defeito causou a queda do volante do Model 3, um dia depois da compra. Além disso, mais recentemente, a NHTSA abriu uma investigação sobre reclamações de incêndios em veículos conectados aos sistemas de gerenciamento de bateria, de modelos S e X.

Via The Verge

publicidade