EnglishPortugueseSpanish

A Amazon apresentou uma queixa junto ao Tribunal Federal de Reivindicações dos EUA, no qual acusa o presidente Donald Trump de exercer “pressão inadequada” e usar de preconceito para convencer o Departamento de Defesa a conceder um lucrativo contrato de computação em nuvem para a rival Microsoft.

Segundo a empresa, Trump usou da sua influência para “prejudicar seu inimigo político” Jeff Bezos, CEO da Amazon e proprietário do Washington Post, um jornal crítico ao governo do republicano. Sem o contrato da Joint Enterprise Defense Infrastructure (popularmente conhecido como JEDI), a Amazon Web Services deixou de receber US$ 10 bilhões.

publicidade

A interferência de Trump tornou impossível para o Pentágono escolher um fornecedor “de maneira razoável e consistente, de maneira justa e igual”, disse a Amazon na queixa. A empresa pediu uma reavaliação das propostas submetidas ao Pentágono e uma nova decisão.

“A questão é se o presidente dos Estados Unidos pode usar o orçamento do Departamento de Defesa para buscar seus próprios fins pessoais e políticos”, afirma o documento de 103 páginas.

Em depoimento no Congresso norte-americano, um dos diretores de tecnologia do Pentágono, Dana Deasy, negou que Trump ou a Casa Branca influenciassem o processo de seleção da JEDI. O anúncio do fornecedor foi feito em outubro, mas meses antes Trump ridicularizou publicamente a oferta da Amazon pelo contrato.

Via Reuters/VentureBeat