EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Em um acordo com a Justiça dos Estados Unidos, a Apple concordou em pagar até US$ 500 milhões em indenizações no chamado “Batterygate” – processo que acusava a empresa de limitar o desempenho do processador dos iPhones para compensar o desgaste da bateria. A medida obrigava muitos consumidores a comprar modelos mais novos ou substituir a bateria do smartphone.

O acordo preliminar proposto para a ação coletiva foi divulgado na noite de última sexta-feira (28) e requer aprovação do um juiz distrital da Califórnia. A Apple deverá pagar US$ 25 aos usuários para cada aparelho elegível, com um pagamento total mínimo de US$ 310 milhões.

publicidade

O acordo vale para norte-americanos proprietários dos aparelhos iPhone 6, 6 Plus, 6s, 6s Plus, 7, 7Plus ou SE que executavam o sistema operacional iOS 10.2.1 ou posterior. O documento também abrange os proprietários do iPhone 7 e 7 Plus que executavam o iOS 11.2 ou posterior antes de 21 de dezembro de 2017.

A empresa alega que fez isso pensando na experiência de uso do dispositivo. “Baterias de íon-lítio perdem capacidade de fornecer o pico de corrente necessária em condições frias, possuem pouca carga ou desgastam com o passar do tempo, o que pode resultar no dispositivo desligando inesperadamente para proteger seus componentes eletrônicos”, afirmou em comunicado.

De fato, estudos e análises feitas nos aparelhos mostraram que o lançamento de novas versões do iOS resultava em uma queda brusca dos iPhones antigos em testes de benchmark. Quando o iOS 10.2.1 foi lançado, o iPhone 6s teve uma grande perda em desempenho, por exemplo, e o mesmo ocorreu com o iPhone 7 quando o iOS 11 foi lançado.

A Apple desenvolveu um recurso que limita o desempenho do processador do smartphone conforme a bateria desgasta. Ela faz isso para que o dispositivo não tenha problemas em se manter ligado – no passado, iPhones desligavam inesperadamente quando a bateria estava velha. Por outro lado, os consumidores reclamaram que isso os levou a acreditar que seus telefones estavam perto do fim de seu ciclo de vida, exigindo substituições ou baterias novas.

publicidade

Via: Reuters