Pesquisadores da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, e da Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, desenvolveram um sistema de ecolocalização – similar ao que os morcegos usam para se orientar – que pode ser aplicado em drones, utilizando apenas microfones e um alto-falante.

A pesquisa, publicada no SIAM Journal on Applied Algebra and Geometry, tem aplicações potenciais para veículos subaquáticos e carros. “Por exemplo, os microfones e o alto-falante podem ser montados em um carro em movimento na estrada, um robô navegando em um ambiente interno ou um veículo subaquático que explora um naufrágio no oceano”, explica a coautora do projeto, a professora de matemática e engenharia da computação, Mireille Boutin.

O conceito em si é bem simples. Quando um dos microfones ouve um eco, a diferença de tempo entre o momento em que o som foi produzido e a hora em que foi ouvido é gravada. Essa diferença de tempo mostra a distância percorrida pelo som após bater em uma parede. O desafio está em determinar qual distância corresponde a qual parede, um processo chamado de eco-classificação.

A classificação precisa dos ecos garante que todas as paredes ouvidas sejam localizadas com precisão. Dessa maneira, o algoritmo não produz paredes “fantasmas”. A pesquisa feita por Boutin e pelo matemático Gregor Kemper prova que é possível uma configuração mínima de quatro microfones dispostos de forma não plana, além de apenas um alto-falante que emite um sinal, para reconstruir uma sala.

publicidade

Os próximos passos serão considerar outros cenários, como quando o movimento do drone é restrito ou quando o drone ouve os ecos de sons consecutivos enquanto se move.

Via: TechXplore