Pesquisadores de todo o mundo correm para testar uma vacina que seja eficaz contra o coronavírus. O processo deve levar pelo menos um ano, mas já há quem queira quebrar o protocolo atual e iniciar os testes em humanos.

Para que uma vacina possa ser aplicada em humanos, são necessários testes de segurança em animais de laboratório. Mark Feinberg, presidente e CEO da International Aids Vaccine Initiative, diz que faz sentido iniciar os testes em humanos antes, dada a atual urgência. O trabalho da empresa foi essencial no desenvolvimento da imunização contra o Ebola.

publicidade

Isso pode ser perigoso, já que não está claro o quão eficaz a fórmula é, e alguns riscos podem ser ainda desconhecidos. A maior vantagem desse método é a velocidade.

Para prosseguir com a ideia, voluntários saudáveis já começaram a ser recrutados. O plano é de testar 45 pessoas, com idades entre 18 e 55 anos. Cada uma delas vai receber duas doses da vacina experimental e 1.100 dólares para participar do estudo.