EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Ministério da Saúde anunciou em coletiva na tarde deste sábado (21) que pacientes com sintomas leves da Covid-19 passarão a ser testados para diagnósticos da doença. Até então, apenas pacientes com sintomas graves eram submetidos ao exame.

A medida visa aumentar as informações sobre a circulação do novo coronavírus, uma vez que muitos casos são subnotificados. Além disso, a decisão deve aprimorar a velocidade para confirmar o diagnóstico. Assim, caso o resultado seja positivo, o enfermo pode ser isolado e iniciar o tratamento mais rapidamente.

publicidade

“Estamos adquirindo um volume de testes significativo para que na próxima semana, daqui a 8 dias, tenhamos 5 milhões de testes rápidos para distribuição em todo o Brasil, para iniciarmos a realização [de testes] em casos leves”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira.

O objetivo da pasta é realizar até 10 milhões de exames nos estados nas próximas semanas. Até agora, no entanto, foram distribuídos somente 27 mil kits para todo o Brasil, menos de 3% do pretendido.

publicidade

Os testes rápidos consistem na coleta de uma pequena amostra de sangue do dedo do paciente. Oliveira afirmou que as unidades de saúde poderão organizar sistemas de “drive thru” para aplicar os exames.

Recomendações

A iniciativa de ampliar as testagens segue recomendações da OMS. Em coletiva na segunda-feira (16), o diretor-geral do órgão internacional,Tedros Adhanom Ghebreyesus, destacou a importância dos exames rápidos no combate à pandemia.

“A forma mais eficaz de salvar vidas é quebrar a cadeia de transmissão. E para fazer isso precisa testar e isolar. Não se pode apagar a fogo cego. Não conseguiremos parar a pandemia se não soubermos quem está infectado. Temos uma simples mensagem: testem, testem, testem. Todos os casos suspeitos. Se eles derem positivo, isolem” afirmou.

A medida ainda encontra respaldo na Coreia. O país asiático chega a testar de 10 a 15 mil pessoas diariamente. Com 8799 infectados, a nação apresenta taxa de mortalidade de 1,15% – bastante inferior ao índice de 4% da China, por exemplo.

Mortes no Brasil

O Brasil registra 18 mortes e 1.128 casos confirmados de pacientes com Covid-19, segundo informações divulgadas pelo Ministério da Saúde. São 15 óbitos no estado de São Paulo e 3 no Rio de Janeiro, representando uma taxa de mortalidade de 1,6% no país.

Os dois estados lideram o número de pessoas contaminadas. São Paulo possui 459 pacientes, enquanto o Rio, 119. A região sudeste apresenta ao todo 642 ocorrências, o equivalente a 56% dos casos em todo país.