EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A pandemia do novo coronavírus tem afetado severamente a população de ratos de regiões urbanas nos Estados Unidos, de acordo com artigo da NBC News.

Embora não existam evidências que esses animais possam contrair ou transmitir o vírus, o fechamento de estabelecimentos em razão de medidas de isolamento social dificultou a procura por alimentos para os roedores. Diante da escassez, a competição por comida já reflete no comportamento dos ratos nas ruas e entre seus próprios pares.

publicidade

Em Nova Orleans, onde o governo da Louisiana impôs medidas de isolamento social, a prefeita LaToya Cantrell declarou em conferência de imprensa, em março, que as ações de combate à pandemia ” estão levando roedores à loucura”. Na sequência, ela alertou que isso coloca a população em situação de rua da cidade em um cenário ainda mais delicado.

“De repente, um restaurante fecha […]. Para os ratos que moravam naquele restaurante ou em algum lugar próximo e que, talvez, por décadas, tiveram gerações que dependiam da comida daquele restaurante, a vida não está mais funcionando, e eles só têm algumas opções”, disse Bobby Corrigan, especialista em roedores.

Invasão em massa?

De acordo com Corrigan, a situação já leva os animais a praticarem canibalismo – isto é, caçarem uns aos outros – e faz com que os ratos adultos devorem seus próprios filhotes para sobreviverem.

Para ele, os roedores devem aparecer com mais frequência em ruas e locais próximos a casas e outras propriedades. Isso porque os animais possuem uma capacidade apurada para farejar alimentos.

publicidade

“Ratos são capazes de sentir o cheiro de moléculas de qualquer coisa relacionada à comida. […] eventualmente, é possível encontrá-los [os ratos] onde essas moléculas se originam”, afirmou o especialista.

Corrigan afirma, no entanto, que isso não é motivo para pânico e descarta a possibilidade de invasões em massa dos animais. Segundo ele, o problema de cada cidade deve ser estudado, caso a caso.

Fonte: NBC News