Pela primeira vez desde que se tornou epicentro do novo coronavírus na Europa, a Itália registrou um número maior de pacientes recuperados do que de mortes. Nas últimas 24 horas, o país teve 2.646 novos casos e 464 mortes, enquanto o número de recuperados foi de 3.033, de acordo com um balanço divulgado pelo governo italiano nesta quinta-feira (23).

Essa foi a primeira vez, desde a primeira detecção de Covid-19 no país em 21 de fevereiro, que a Itália registrou mais pessoas curadas do que novos casos. Desde esse dia, o país europeu teve um total de 189.973 infectados, incluindo os mortos, curados e em tratamento.

publicidade

Atualmente, são 106.848 pessoas contaminadas e os números de pacientes internados em unidades de terapia intensiva segue caindo.

Números atualizados

“Os números são particularmente reconfortantes”, afirmou Angelo Borrelli, chefe da Proteção Civil, após a divulgação da primeira redução desde o começo da pandemia. Do total de pacientes no país, 81.710 estão em isolamento domiciliar, assintomáticos ou com sintomas leves, 22.871 estão internados (queda de 934 nas últimas 24 horas) e 2.267 estão hospitalizados em terapia intensiva.

Segundo os dados oficiais, mais de um milhão de pessoas já foram submetidas a um ou mais testes para detectar se estavam contaminadas com o novo coronavírus.

Retomada gradual

O governo da Itália estuda um plano para a reabertura do país no dia 4 de maio. A ministra do Interior, Luciana Lamorgese, afirmou nesta quinta-feira (23) que irá protocolar um pedido para retirar a suspensão dos velórios no país. “Não é humanamente suportável impedir a realização de velórios para famílias atingidas pela dor”, disse ela, completando que as despedidas deveriam ser permitidas, mesmo que para um número reduzido de pessoas.

Além disso, o governo prepara um programa de testagem em massa da população para estimar o percentual de habitantes imunizados. Para o plano de reabertura, o primeiro-ministro Giuseppe Conte trabalha em um cronograma com a inclusão de algumas atividades econômicas, como construção civil e manufatura, além de parques e áreas de lazer.

Via: R7.com