A TSMC (Taiwan Semiconductor Manufacturing Company) revelou a acionistas, em relatório publicado nesta sexta-feira (24), que a empresa começou a estudar uma nova tecnologia de chips de processadores de 2-nanômetros.

Segundo o site Cult of Mac, a expectativa é que esses sistemas sejam empregados no iPhone 2024. Isso porque a companhia taiwanesa é fornecedora exclusiva da Apple e já confecciona chips de 5 nanômetros para o iPhone 12. A TSMC espera acelerar a produção dos chips ainda no segundo semestre deste ano.

publicidade

Além disso, a Apple segue a tendência de atualizar as especificações de nanômetros dos chips usados nos celulares, a cada dois anos. A TSMC espera fabricar chips de 3-nanômetros já em 2021 para que possam ser usados em iPhones com previsão de chegada ao mercado no ano seguinte. Portanto, caso mantenha o padrão, os chips de 2-nanômetros devem ser voltados a aparelhos lançados em 2024.

Qual a importância do número de nanômetros?

O número de nanômetros remete ao tamanho dos transistores em um chip. Essas ferramentas são fundamentais para amplificar os sinais eletrônicos e a potência elétrica de um sistema. Quão menores forem os transistores, mais unidades podem ser acopladas a uma mesma plataforma.

Isso determina quantas operações o chip pode realizar e impacta diretamente na performance do dispositivo. Transistores menores também são mais eficientes em termos de energia e podem realizar mais cálculos sem provocar o superaquecimento do aparelho.

Reprodução

O iPhone 11, por exemplo, é equipado com os chips A13 bionic da Apple. Eles apresentam processadores de 7-nanômetros, com o total de 8,5 bilhões de transistores, uma quantidade até 23% superior à encontrada no A12.

Para se ter uma ideia do tamanho de um nanômetro, um fio de cabelo humano tem
um fio de cabelo humano tem aproximadamente 60 mil nanômetros de diâmetro.

Ainda de acordo com a publicação, a TSMC também destaca no relatório que está “progredindo em pesquisas e estudos exploratórios para sistemas além de 2 nanômetros”.

Fonte: Cult of Mac