EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Um vazamento de gás tóxico nesta quinta (7) em uma fábrica da LG Chem na cidade de Visakhapatnam, no estado de Andhra Pradesh, no sul da Índia, deixou 11 mortos e centenas de feridos. A LG Chem é a parte do conglomerado LG Corporation, que também inclui a LG Electronics.

Segundo a CNN, muitas das vítimas morreram instantaneamente, “caindo onde estavam”, seja dirigindo ou na varanda de suas casas. Outras morreram durante o sono. Três das vítimas eram crianças. Kamal Kishore, da Agência Nacional para Gerenciamento de Desastres, afirma que mais de mil pessoas foram expostas ao gás, 285 foram hospitalizadas e 20 a 25 estão em estado “crítico porém estável”.

publicidade

Tej Bharath, um oficial do distrito de Vishakhapatnam conta que “quando chegamos ao local muitas pessoas estavam deitadas no chão, inconscientes, e evacuamos cerca de mil delas e as levamos ao hospital”.

Reprodução

Funcionário da Força Nacional de Resposta a Desastres da Índia se prepara para entrar na fábrica da LG Chem. Fonte: CNN

A fábrica fica próxima a uma vila na periferia de Visakhapatnam, onde moram cerca de 3.000 pessoas. A substância que vazou é o estireno, usada na produção de plásticos como o poliestireno e ABS.

publicidade

Em temperatura ambiente o estireno é um líquido oleoso e incolor, porém bastante volátil. Segundo um oficial da LG Chem, em declaração à CNN, o líquido “reagiu com algo” e se transformou em vapor. Ainda não se sabe o que causou a reação. A fábrica tem alarmes que soam no caso de vazamentos, mas apenas caso a substância vaze na forma líquida.

O vazamento ocorreu às 3 da manhã, mas a equipe de resposta a desatres do estado só foi notificada às 5:30, e chegou ao local às 06:00. Entretanto, o cheiro do gás era tão forte que só puderam entrar na fábrica meia hora depois. O gás saiu de uma das chaminés da fábrica e foi levado pelo vento.

Segundo Satya Pradhan, diretor da Força Nacional de Resposta a Desastres (NDRF) o vazamento está sob controle.

Fonte: CNN