EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Astrônomos descobriram que o asteroide 3548 Eurybates, que será visitado em 2027 pela espaçonave Lucy, da Nasa, tem uma pequena lua. A descoberta foi feita pela equipe responsável pela missão usando o telescópio espacial Hubble.

Eurybates é um “asteroide troiano”, nome dado a dois grupos de asteroides que compartilham a mesma órbita de Júpiter, mas orbitam à frente ou atrás do planeta. Eles são de interesse para os astrônomos, pois se acredita que eles sejam “restos” da formação do sistema solar e que podem guardar informações valiosas sobre sua origem.

publicidade

Os pesquisadores suspeitavam que Eurybates tinha uma lua, mas não conseguiram encontrá-la em observações do asteroide feitas pelo Hubble em 2018. Revisando observações de novembro de 2019 eles identificaram uma suspeita e pediram mais tempo de acesso ao telescópio para confirmar os dados.

Receberam três tentativas e na terceira órbita, em janeiro deste ano, encontraram a lua. A dificuldade para encontrá-la se deve ao seu tamanho: enquanto Eurybates tem 68 km de diâmetro, a estimativa é de que sua lua tenha apenas 1 km. Os cientistas agora trabalham em determinar sua órbita para que possam observá-la em mais detalhes em junho, quando Eurybates estará novamente visível ao Hubble.

publicidade

Reprodução

Ilustração do satélite Lucy e um de seus alvos. Fonte: Nasa.

A espaçonave Lucy deverá ser lançada em outubro ou novembro de 2021. Em 2025 ela passará pelo asteroide 52246 Donaldjohanson, nomeado em homenagem ao paleoantropólogo norte-americano Donald Johanson, que em 1974 descobriu o fóssil hominídeo que dá nome à missão. Em 2027 ela chegará ao grupo de troianos que orbita 60º à frente de Júpiter, onde visitará os asteroides 3548 Eurybates, 15094 Polymele, 11351 Leucus, e 21900 Orus.

Depois retornará à vizinhança da Terra, e usará a gravidade de nosso planeta como impulso para retornar à órbita de Júpiter e visitar os asteroides que orbitam 60º atrás do planeta, mais especificamente o binário 617 Patroclus e seu satélite Menoetius, em 2033.

Fonte: Space.com