EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Saturno possui um estranho sistema de neblinas em camadas chamado “Hexágono de Saturno”. A estrutura, que também existe em outros mundos frios, como Titã e Plutão, foi descoberta pela sonda Voyager da Nasa, em 1980, e teve seu primeiro registro em detalhes feito pela sonda Cassini.

Agora, um novo estudo de cientistas da Universidade do País Basco, na Espanha, usou imagens da Cassini e do Telescópio Espacial Hubble para entender um pouco mais do fenômeno. Analisando os registros, a equipe percebeu que não se trata de uma grande estrutura única, mas sim um sistema com pelo menos sete camadas de neblinas, uma sob a outra, se estendendo por mais de 300 km.

publicidade

“As imagens da Cassini nos permitiram descobrir que, como se um sanduíche tivesse sido formado, o hexágono tem um sistema de pelo menos sete camadas de névoas que se estendem a uma altitude de mais de 300 km”, destacou o líder do estudo Agustín Sánchez-Lavega. A pesquisa mostrou que cada camada possui entre sete e 18 quilômetros de extensão.

ReproduçãoCamadas de neblina do Hexágono de Saturno. Foto: UPV/EHU

Os cientistas acreditam que a neblina seja formada por partículas de butano, acetileno ou propano, congeladas por conta da temperatura variante entre -120ºC e -180ºC. Além disso, sugerem que a distribuição ocorre verticalmente com base da diferença da densidade e da temperatura da atmosfera de Saturno.

Via: Space

publicidade