Se tudo ocorrer conforme os planos, o programa espacial chinês deve lançar, em julho deste ano, uma missão para Marte, que contará com a implantação de uma sonda orbital e de um rover robótico, que vai explorar a superfície do planeta vermelho.

Essa será a primeira missão do programa espacial chinês a enviar um rover ao planeta. Além de um avanço, o feito é mais uma maneira que a China encontrou para competir com os esforços da exploração espacial dos EUA.

Até agora, a Nasa enviou quatro missões com rovers para Marte. A quinta, que contará com um rover chamado Perseverance, também está com lançamento programado para julho, com previsão de chegada à superfície do planeta em fevereiro de 2021. A intenção é que o robô retorne à Terra com amostras de rochas do planeta vizinho.

Reprodução

publicidade

Simulação da superfície de Marte. Imagem: Navva

Quanto à China, os planos futuros consistem em, além de implantar um rover chinês em Marte, lançar uma plataforma de pesquisa orbital acima da Terra em 2022 e enviar uma sonda tripulada à Lua com astronautas chineses – inclusive, um teste recente já apresentou avanços nesse quesito.

Paralelamente, a Nasa emitiu um conjunto de regras para propor a cooperação internacional no espaço, principalmente no que diz respeito à Lua e estabelecer uma presença humana mais sólida no nosso satélite natural. Contudo, a agência espacial não deixará de testar seu primeiro voo tripulado em parceria com a SpaceX, empresa aeroespacial do bilionário Elon Musk, já nesta quarta-feira (27).

 

Via: TechCrunch