Pesquisadores da Universidade de Leeds, no Reino Unido, desenvolveram um sistema de inteligência artificial que procura novas estrelas a partir de dados do telescópio espacial Gaia. A ferramenta encontrou mais de duas mil novas protoestrelas – estrelas infantis formadas por nuvens de gás e poeira no espaço.

Antes de usar essa tecnologia, apenas 100 dessas estrelas haviam sido catalogadas. O estudo desse pequeno grupo já tinha dado aos pesquisadores muitas informações sobre como os objetos celestes se formam. Com as novas descobertas, espera-se que a compreensão sobre a Via Láctea cresça ainda mais.

publicidade