EnglishPortugueseSpanish

Nesta quarta-feira (10), de acordo com dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde, São Paulo registrou, pelo segundo dia consecutivo, recorde de mortes em decorrência do novo coronavírus. Foram 340 óbitos contabilizados em 24 horas. Com isso, o total de vítimas da doença chega a 9.862. 

O total de infectados também registra aumentos, passando de 150.138 para 156.316. Esses números, no entanto, não significam necessariamente que as mortes e infecções ocorreram no período, apenas que foram registradas pelo sistema na data.

publicidade

Durante coletiva de imprensa realizada pelo governador João Doria no Palácio dos Bandeirantes na tarde desta quarta-feira, foi anunciado que, pela quarta vez, a quarentena será estendida. Prevista anteriormente para terminar em 15 de junho, o período de isolamento foi prorrogado até 28 de junho.

“O governo de São Paulo decreta nova quarentena de 15 a 28 de junho, será o quinto período de quarentena no estado de São Paulo, esta nova quarentena será denominada quarentena heterogênea, onde será aplicado o Plano São Paulo. Será uma retomada consciente da economia por fases e por regiões conforme prevê o plano São Paulo, com cuidado, com segurança e dentro dos limites determinados pela ciência e pela medicina e dessa orientação, nós não nos afastaremos”, disse Doria.

Além disso, o governador destacou que as cidades de Barretos e Presidente Prudente, localizadas no interior do estado, passam da zona “amarela” do plano São Paulo – que prevê a retomada das atividades de alguns setores – para a zona “vermelha”, com medidas mais rígidas de restrição. Ribeirão Preto também retrocede na reabertura, passando da fase “laranja” para a mais severa. 

Na direção contrária, regiões da Grande São Paulo, Baixada Santista e Registro foram reclassificadas da fase “vermelha” para “laranja”. Isso ocorreu após a redução no número de casos e desocupação de leitos de UTI.

Via: G1