EnglishPortugueseSpanish

Desde o início das manifestações contra a injustiça racial nos Estados Unidos, empresas de tecnologia anunciaram apoio financeiro a instituições ligadas à causa. A Apple deu, nesta quinta-feira (11), um passo além: a companhia anunciou a criação de uma iniciativa de US$ 100 milhões em prol da igualdade social e racial no país.

Chamado de Iniciativa de Igualdade Racial e Justiça da Apple, o projeto visa “desafiar as barreiras sistêmicas de oportunidade e dignidade que existe para comunidades de cor e particularmente para a comunidade negra”, segundo Tim Cook. A ação vai focar esforços em educação, igualdade econômica e reforma na justiça criminal.

publicidade

A iniciativa terá início nos Estados Unidos, que deram início a uma onda de manifestações que se expandiu internacionalmente após o assassinato de George Floyd por um policial. No entanto, a Apple pretende expandir o programa globalmente com o tempo.

Parte da iniciativa envolve mudanças na própria Apple. Segundo Tim Cook, a companhia tomará as medidas para ampliar a diversidade de seus funcionários. No entanto, o CEO também prometeu esforços para mudanças em companhias parceiras, aumentando gastos em negócios dirigidos por pessoas negras, incentivando também a diversidade nas empresas com as quais a empresa faz negócios.

A Apple designou Lisa Jackson para supervisionar essa iniciativa. Ela ocupa o cargo de vice-presidente de iniciativas ambientais na companhia e já foi chefe da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos. Ela também coordena as iniciativas sociais da empresa e liderou esforços de sustentabilidade e acessibilidade.

Além da nova iniciativa, a Apple também anunciou na semana passada uma série de doações para organizações de combate à desigualdade racial. Um valor não-especificado foi doado à Equal Justice Initiative, e a empresa também se comprometeu a doar o dobro do que seus funcionários doarem para uma lista de grupos dedicados à causa racial durante o mês de junho.