Testes realizados em porcos sugerem que a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, pode precisar de duas doses para uma imunização completa. No estudo, os cientistas viram um aumento acentuado dos anticorpos neutralizantes, que se ligam ao vírus para bloquear a infecção.

Apesar disso, ainda não se sabe exatamente qual nível de resposta imune é necessário para proteger os seres humanos contra o novo coronavírus. Por isso, testes mais aprofundados ainda devem ser realizados.

publicidade