Há cerca de 10 anos, um grupo de arqueólogos encontrou dois crânios humanos de aproximadamente 8 mil anos na Suécia. Agora, com a ajuda da tecnologia, os arqueólogos sabem como pode ter sido o rosto de um desses indivíduos.

A partir de uma réplica do crânio, o artista forense Oscar Nilsson usou um tomógrafo para obter uma imagem 3D virtual. Depois, usou métodos forenses e recriou os músculos e outras características faciais do homem. Uma análise prévia de DNA revelou que o indivíduo tinha cabelos castanhos escuros e olhos azuis. E o resultado do trabalho foi este: 

publicidade