EnglishPortugueseSpanish

Cientistas americanos fizeram uma descoberta capaz de mudar totalmente a nossa concepção sobre os dinossauros. Ao analisar os ossos da espécie Kongonaphon kely, que significa “pequeno matador de insetos”, eles confirmaram que o ancestral poderia caber na palma da mão, por ter o tamanho de uma xícara de café. 

O pequeno dinossauro, que viveu em Madagascar, na África, há aproximadamente 237 milhões de anos durante o período Triássico, tinha apenas 10 centímetros de altura. Os cientistas dizem que K. kely pertencia ao antigo grupo Ornithodira: o último ancestral comum de todos os dinossauros e pterossauros.

publicidade

“Existe uma percepção geral dos dinossauros como gigantes”, disse o paleontólogo Christian Kammerer, do Museu de Ciências Naturais da Carolina do Norte. “Mas este novo animal está muito próximo da divergência de dinossauros e pterossauros, e é surpreendentemente pequeno”.

Reprodução

Comparação do tamanho do corpo do Kongonaphon Kelly com o de um Herrerasauro. Imagem: Frank Ippolito/AMNH

O que intriga é: como essas criaturas colossais evoluíram de origens tão despretensiosas? A resposta nunca foi totalmente clara, uma vez que relativamente poucos espécimes da linhagem raiz de Ornithodira já foram descobertos e estudados.

É por isso que os ossos antigos do “matador de insetos” são tão importantes. Eles foram encontrados pela primeira vez em 1998, durante um trabalho de campo em um local fóssil no sudoeste de Madagascar, junto com os restos de centenas de outros espécimes antigos.

“Demorou algum tempo até que pudéssemos focar nesses ossos, mas, quando o fizemos, ficou claro que tínhamos algo único e que merecia uma olhada mais de perto”, afirmou o paleontólogo John Flynn, do Museu Americano de História Natural.

Pequenos ancestrais

K. kely é a menor espécie conhecida de uma família de dinossauros chamada Lagerpetidae. Sabe-se que esses primeiros exemplos de Ornithodira são pequenos, mas com as recentes descobertas, como o “pequeno matador de insetos”, os pesquisadores estão chegando à ideia de que a pequenez desses espécimes não é um mero acidente.

“Embora dinossauros e gigantismo sejam praticamente sinônimos, uma análise da evolução do tamanho do seu corpo demonstra que os membros mais antigos do grupo podem ter sido menores do que se pensava anteriormente, e que um um profundo evento de miniaturização ocorreu perto da base da linhagem de aves”, escreveu a equipe em um novo artigo.

Os cientistas trabalham com a possibilidade de que esses ancestrais menores de dinossauros e pterossauros tenham adaptado seu pequeno corpo para “invadir zonas não ocupadas anteriormente por arssacouros” como uma espécie de vantagem evolutiva, bem como para desenvolver outras características para a sobrevivência de seus descendentes.

Essa é mais uma prova de que ainda há muitos segredos em nosso planeta a serem desvendados.

Via: Science Alert