Quinze trabalhadores do Laboratório Nacional de Los Alamos, nos Estados Unidos, estão sendo monitorados após um episódio de potencial exposição radioativa. Uma caixa que continha luvas utilizadas para manusear plutônio pode ter vazado e contaminado parte das instalações.

O incidente teria ocorrido em junho e não apresentou riscos para a saúde ou segurança pública, disseram funcionários do laboratório em comunicado enviado à Associated Press. “Os funcionários do laboratório responderam rápida e adequadamente e limparam a sala de maneira segura”, disseram os responsáveis.

publicidade

Los Alamos conduz processos de produção e substituição dos núcleos de plutônio usados ​​em armas nucleares. Até 2026 o laboratório deve começar a produzir pelo menos 30 núcleos por ano – esforço que atraiu muitas críticas de grupos de vigilância nuclear que há muito se preocupam com o histórico de segurança do laboratório.

As autoridades estaduais do Novo México também manifestaram preocupação com a capacidade do governo federal de limpar a contaminação existente de décadas de fabricação de bombas e pesquisas nucleares no laboratório. 

Los Alamos nasceu em 1943 como uma cidade secreta nas montanhas do norte do Novo México, onde cientistas do governo e militares se reuniram como parte do Projeto Manhattan para desenvolver a primeira bomba atômica. Atualmente emprega mais de 12 mil funcionários, em mais de mil instalações individuais que consomem um orçamento de US$ 2,92 bilhões. Além de Los Alamos, o laboratório de Savannah River, na Carolina do Sul, também trabalha com a renovação do estoque nuclear dos EUA.

Apesar da missão de produzir os núcleos de plutônio (e do deadline que se encerra em seis anos), Los Alamos não fabricou nenhum componente desde 2011 – principalmente por falhas de segurança. O incidente recente foi divulgado em um relatório semanal de um conselho de segurança independente que monitora as atividades em laboratórios federais de todo o país.

Segundo o relato, os alarmes soaram quando um funcionário retirou as luvas da caixa de segurança após pesar e embalar o pó de óxido de plutônio. Uma contaminação significativa foi observada em suas roupas de proteção, cabelo e pele. O ar da sala também foi contaminado pela radioatividade.

Via: ABCNews