EnglishPortugueseSpanish

Pesquisadores da Universidade do Missouri, nos EUA, demonstraram, em um novo estudo, que a simples combinação de lápis e papel pode ser usada para criar dispositivos médicos vestíveis para monitoramento da saúde

Acontece que lápis com núcleos feitos com mais de 90% de grafite conduzem uma quantidade significativa de energia quando você os usa para escrever em uma folha de papel. O grafite pode funcionar como um eletrodo sensor, enquanto o papel fornece uma estrutura de suporte flexível. 

publicidade

Segundo a equipe envolvida na pesquisa, há potencial para fabricar dispositivos que monitoram condições como a temperatura e o nível de glicose de uma pessoa. Além disso, os sensores podem trabalhar em tempo real e fornecer dados robustos.

Reprodução

Um dos potenciais usos da nova tecnologia será a medição de glicose no sangue. Foto: Carrefour

“A abordagem convencional para o desenvolvimento de um dispositivo eletrônico biomédico na pele é geralmente complexa e cara de se produzir”, afirmou o professor Zheng Yan. “Por outro lado, nossa abordagem é de baixo custo e muito simples”, salientou.

Cuidado remoto da saúde

Os pesquisadores acreditam que a descoberta possa ter amplas aplicações futuras em cuidados de saúde personalizados em casa, bem como para pesquisas científicas remotas, como durante a pandemia da Covid-19. 

O próximo passo do grupo é desenvolver e testar ainda mais o uso dos componentes biomédicos, incluindo sensores eletrofisiológicos, de temperatura e bioquímicos. No entanto, pode levar anos até que uma tecnologia desta possa ser comercializada.

 

 

 

Via: Engadget