Será possível no futuro apagar memórias ou até mesmo vícios humanos? Se a distopia parece distante demais para nós, cientistas chineses parecem ter dado o primeiro passo com ratos de laboratório.

Segundo pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências, foi possível interromper o caminho no cérebro responsável pela transmissão de memórias associada à morfina. Desta forma, os ratos antes viciados no medicamento conseguiram se livrar da dependência.

publicidade

Como um entremeado de ‘fios’, o cérebro possui milhões de terminações nervosas que se interligam e criam nossas redes de informações, sensações, sentimentos e até vícios. Ao romper uma dessas ligações, é possível apagar do cérebro informações antes armazenadas.

A descoberta não significa, necessariamente, que isso poderá ser aplicado com sucesso em humanos, já que os cérebros de ratos são bem menos complexos. Entretanto, as pesquisas na área pretendem avançar nas descobertas e essa pode ter sido uma grande passo inicial.

ratos-lab.jpg

Pesquisa conduzida em laboratório chinês pode indicar avanço no estudo dos vícios. Imagem: Reprodução

Para tratar os ratos com vício em morfina, os cientistas implantaram uma fibra óptica que iluminava uma região do hipotálamo, responsável, entre outras coisas, por controlar necessidades metabólicas. Após colocarem o implante, os ratos já não procuravam mais a droga.

Em um comunicado, o pesquisador que conduziu as pesquisas, Zhu Yingjie, disse que as descobertas são promissoras. “Nosso sucesso na prevenção de recaídas em roedores pode um dia se traduzir em um tratamento duradouro da dependência de opióides nas pessoas”, afirmou.

Fonte: Futurism