Uma equipe de pesquisadores do Japão e dos Estados Unidos conseguiu reviver micróbios que estavam presos no fundo do mar há mais de 100 milhões de anos. Os microrganismos receberam um impulso de oxigênio e foram alimentados com substratos com carbono e nitrogênio. Depois, foram selados e incubados em frascos que só foram abertos em três oportunidades: após 21 dias, seis semanas e 18 meses.

Segundo Uiki Morono, microbiologista da Agência Japonesa de Ciência e Tecnologia Marinha e da Terra, até 99,1% dos micróbios depositados em sedimentos 101,5 milhões de anos atrás ainda estavam vivos e prontos para comer. Após a incubação, os pesquisadores determinaram que se tratavam de bactérias.

publicidade

Alguns dos seres quadruplicaram em número depois de 68 dias. Segundo o geomicrobiologista Steven D’Hondt, da Universidade de Rhode Island, isso mostra que não há limites para a vida nos antigos sedimentos dos oceanos. Para mais detalhes sobre a pesquisa, acesse nosso portal, www.olhardigital.com.br.