Apesar do game Fortnite atingir a marca de US$ 300 milhões em vendas para os dispositivos iOS, a Epic Games, desenvolvedora do jogo, não parece estar muito feliz com as políticas da App Store. Em entrevista ao CNBC, Tim Sweeney, CEO da Epic Games, afirmou que a loja da Apple consiste em um “monopólio absoluto”, dadas as altas taxas cobradas e dificuldades encontradas para o lançamento de softwares na plataforma.

A principal reclamação de Sweeney refere-se às taxas de 30% que a Apple e o Google recebem de compras no aplicativo. Segundo o CEO da Epic Games, se os desenvolvedores pudessem aceitar pagamentos por conta própria — sem os descontos —, o montante poderia ser usado para benefícios em prol dos usuários.

O motivo do desabafo, no entanto, não se limita à tarifa. Em 2018, a desenvolvedora de jogos lançou a Epic Game Store para computadores Windows e Mac. Em relação a outras plataformas, ela se destacava por cobrar 12% das vendas de jogos de outras empresas.

publicidade

Contudo, a Epic Game Store ainda não foi disponibilizada para iPhones, por conta das rígidas políticas que impedem lojas de softwares concorrentes na App Store. “Eles [a Apple] estão impedindo que uma categoria inteira de negócios e aplicações seja envolvida em seu ecossistema ao excluir competidores de cada aspecto do seu negócio que eles estão protegendo”, afirmou Sweeney.

Críticas contra as políticas adotadas pela App Store crescem. Foto: Pixabay

CEO também critica políticas do Google

Apesar de grande parte das críticas serem direcionadas à Apple, Sweeney não popou a Google, afirmando que o controle da gigante sobre a Android “sufoca as lojas concorrentes”.

Assim como o observado na App Store, o CEO da Epic Games tem encontrado dificuldades para levar a Epic Game Store para o Android.

“O Google impede intencionalmente as lojas concorrentes, apresentando barreiras na interface do usuário e obstruções”, disse Sweeney.

Inicialmente, a Epic Games disponibilizava o jogo Fortnite para Android somente via download direito no seu website — evitando as taxas do Google. Contudo, os jogadores não aderiram o modo e o Google acusou o game de possuir falhas de segurança em seu instalador. Com isso, não restou outra saída a não ser disponibilizar o Fortnite pela Google Play.

Via: CNBC