EnglishPortugueseSpanish

China acelera na exploração espacial

Redação 07/08/2020 21h56, atualizada em 07/08/2020 23h12

Ontem, o foguete chinês Long March 2D partiu para mais uma missão: a espaçonave levou um satélite de observação da Terra, acompanhado de um pequeno satélite desenvolvido pela Universidade de Tsinghua, para o Espaço. O veículo decolou de Jiuquan às 12h01, no horário local.

O satélite Gaofen 9 é capaz de registrar imagens de objetos de um metro de largura em alta resolução. Os dados coletados devem ser usados para pesquisas de terras, planejamento de cidades, projeto da rede de rodovias, e até prevenção desastres, entre outras atividades.

publicidade

Em conjunto com os demais satélites, o novo equipamento vai formar um conjunto de observação do planeta como parte do Sistema de Observação da Terra de Alta Resolução.

O satélite que foi de carona é um Q-Sat. Trata-se de um equipamento científico de gravidade e atmosfera. Seu objetivo é verificar a tecnologia e medir a densidade atmosférica, além de coletar dados do campo gravitacional.

Este foi o 22° lançamento da China neste ano. Um deles foi o envio do foguete Long March 5B para Marte. Até o fim de 2020, a Corporação Aeroespacial de Ciência e Tecnologia da China quer completar 40 lançamentos.