EnglishPortugueseSpanish

O mercado de serviços de streaming brasileiro deve ganhar mais um competidor dentro de três meses. A Disney anunciou que, a partir de novembro, trará o serviço de streaming Disney+ a toda a América Latina e Caribe, o que, obviamente, inclui o Brasil. O comunicado complementa o anúncio feito pelo CEO Bob Chapek em conferência com investidores na semana passada.

Em comunicado desta quinta-feira (13), a Disney ressalta que, a partir de novembro, o serviço se tornará o “destino exclusivo” para “filmes e séries de Disney, Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic”, além de vários outras produções originais criadas para exclusivamente para a plataforma, como é o caso do seriado “The Mandalorian”.

publicidade

Não foi divulgado preço do serviço, mas a página do aplicativo no Google Play já mostra que o Disney+ tem preços planejados para o Brasil. Ao procurar por informações adicionais sobre o app, a Play Store já mostra que os preços variam entre R$ 29 e R$ 290.

O valor menor seria referente à assinatura mensal, para quem prefere não se comprometer a uma assinatura mais longa. Enquanto isso, os R$ 290 são referentes a uma assinatura de um ano, que é mais vantajosa para quem prefere um compromisso mais longo, equivalendo a pouco mais de R$ 24 por mês.

Valores similares aparecem quando se tenta criar uma conta no serviço nos Estados Unidos com dados do Brasil, como percebeu o site Guia Disney Plus Brasil. O aplicativo mostra os preços de R$ 29 e R$ 295 pelos pacotes mensal e anual, respectivamente.

Os preços colocariam o Disney+ com um preço inferior ao da Netflix no Brasil, o que pode ser uma grande vantagem competitiva. No entanto, o Prime Video ainda apareceria como a alternativa mais acessível, que custa R$ 10 mensais ou R$ 89 anuais e ainda vem com uma série de benefícios, incluindo de frete grátis em algumas compras na Amazon.

publicidade