EnglishPortugueseSpanish

Um jovem dos Estados Unidos é o responsável por 49% de todo o conteúdo da Wikipedia disponível em um idioma que ele não conhece. De acordo com o The Guardian, um rapaz de 19 anos escreveu mais de 20 páginas na língua ânglica escocesa – ele começou o “projeto” aos 12 anos.

O caso escancara uma das maiores falhas na Wikpedia. A chamada “enciclopédia livre” permite que qualquer pessoa escreva sobre qualquer assunto, com o objetivo de incentivar os mais experientes em determinados temas a compartilharem seu conhecimento com outros. No entanto, a ausência de uma moderação eficaz pode criar casos como esse, em que uma pessoa sem familiaridade alguma com um idioma foi responsável por grande parte do conteúdo disponibilizado naquela língua.

publicidade

O usuário, que atende pelo nome de AmaryllisGarnder, começou a escrever artigos na língua ânglica escocesa aos 12 anos. Até 2018, ele foi o responsável por mais de 20 mil páginas e 200 mil edições de artigos no idioma.

O problema é que AmaryllisGardner jamais falou uma palavra no idioma em questão. Os artigos escritos pelo garoto tinham construções gramaticais sem relação alguma com a língua. Aparentemente, ele usava uma ferramenta online para traduzir frases em inglês para a língua ânglica escocesa e achava que era o suficiente.

O que fazer?

Como pouca gente acessava artigos no idioma em questão, o caso passou despercebido por anos,até ser exposto pelo jornal The Guardian. Agora, editores e administradores da Wikipedia pensam no futuro dos artigos falsos.

Reprodução

publicidade

Wikipedia. Via: Tero Vesalainen/Shutterstock

A língua ânglica escocesa é um idioma considerado em extinção, e os artigos da Wikipedia são a principal fonte de conhecimento escrito nela disponível. Removê-las da Wikipedia, faria, por um lado, com que esse conhecimento fosse perdido. Por outro, a quantidade de erros nos artigos disponíveis pode causar mais danos do que ajudar a preservar o idioma, argumentam especialistas da área.

Há quem defenda que as informações sejam reaproveitadas. “Nós sabemos que esse garoto se esforçou bastante e criou uma infraestrutura modificável,” argumenta o diretor do Centro da Língua Ânglica Escocesa, Michael Dempster. “É uma ótima fonte mas é preciso que pessoas com conhecimento no idioma editem a partir de agora. Tem potencial para ser um grande foco online para a língua no futuro,” continuou.

O garoto tinha boas intenções, embora fosse bastante ingênuo. “Eu tinha só 12 anos quando comecei, e às vezes quando você começa algo tão jovem, são consegue perceber que aquele hábito era nocivo até ficar mais velho”, explicou.

O caso destaca uma das principais falhas da Wikipedia: quando todo mundo pode escrever, qualquer um pode escrever. Isso significa que até quem não sabe nada sobre um assunto pode redigir um artigo se passando por especialista – aí, a ideia do compartilhamento livre de informação foi totalmente corrompida por desinformação, mesmo que apresentada como bem-intencionada.

Via: Engadget