EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Recentemente, China, Estados Unidos e alguns países da Europa demonstraram interesse em investir na navegação por meio da internet quântica. Ela nada mais é do que a troca de dados e informações utilizando as leis da mecânica quântica, que trabalha com fragmentos quase imperceptíveis.

Em teoria, a internet quântica permite que o usuário consiga fazer uso de inúmeros recursos passando despercebido, o que é impossível com os dispositivos web atuais. Essa “furtividade” se deve à maneira como essas informações são passadas, por qubits ou bits quânticos, mais precisamente.

publicidade

Em termos básicos, a internet quântica se assemelha à rede que é acessada diariamente por bilhões de pessoas mundo afora. Entretanto, existem algumas diferenças notáveis no que se diz respeito à navegação. A primeira delas é o “estado quântico”, momento em que é possível alavancar o comportamento das partículas de dados comprimidos em menor escala. Outro fator importante é a velocidade com que as informações são distribuídas na internet quântica, intrigando novos cientistas a cada dia.

Segundo especialistas, as leis da física quântica relacionadas à internet são desconhecidas e extremamente confusas, contra-intuitivas e até sobrenaturais em alguns momentos. Cientistas de países interessados investem na padronização da navegação quântica, sem sucesso.

É recomendado esquecer tudo o que já foi aprendido de computação clássica, pois quase nada da internet quântica 2.0 te fará lembrar das horas usadas em seu navegador favorito.

ReproduçãoPara adentrar as desconhecidas áreas da internet quântica, é necessário um computador quântico, que não é acessível à qualquer pessoa. Créditos: Costex/ Shutterstock

publicidade

Estrutura

Vale lembrar que é necessário um computador quântico para realizar a codificação de arquivos e dados em qubits, tanto do lado do emissor quanto do receptor, o que tem travado os avanços tecnológicos relacionados à internet nessas máquinas.

A montagem de um computador quântico é bem restritiva, apenas alguns governantes já investiram na construção de um exemplar. Recentemente, o Reino Unido vem movendo esforços para a construção de um dispositivo que seja competente e ajude os cientistas a definirem um padrão para os acontecimentos da internet quântica. 

 Fonte: ZD Net