EnglishPortugueseSpanish

Pesquisadores de universidades holandesas desenvolveram um console portátil que dispensa o uso de pilhas ou baterias e promete eliminar as preocupações de usuários com a carga de seus aparelhos. Inspirado no Game Boy da Nintendo, o dispositivo funciona a partir de painéis solares acoplados ao redor da tela e de energia gerada pelos próprios jogadores.

“É o primeiro dispositivo interativo sem bateria que coleta energia das ações do usuário”, afirma o coautor da pesquisa Josiah Hester da Northwestern, em nota publicada pelo TechXplore.”Quando você pressiona um botão, o dispositivo converte isso em energia, que impulsiona seu jogo.”

publicidade

O console portátil, conhecido pela sigla ENGAGE, apropria-se da tecnologia do processador dos Game Boys da Nintendo. Isso permite ao aparelho rodar qualquer títulos retrôs diretamente da fita original. O dispositivo, no entanto, apresenta breves intervalos de perda de energia durante o funcionamento.

Segundo os cientistas, em dias “não muito nublados”, as interrupções duram normalmente menos de um segundo e acontecem a cada 10 segundos de funcionamento. Eles utilizaram uma técnica que armazena o ‘estado’ do aparelho em uma memória não volátil para minimizar a possibilidade de sobrecarga e garantir a restauração rápida do jogo no mesmo ponto anterior à interrupção. O recurso elimina a necessidade dos usuários ‘salvarem’ o progresso nos games.

Reprodução

Modelos do console ENGAGE. Imagem: Northwestern University

Para os pesquisadores, mesmo com as limitações, o ENGAGE é viável para alguns tipos de jogos, como Solitária e Tetris. Por outro lado, as interrupções podem comprometer a jogabilidade de alguns títulos, principalmente de ação e aventura. Eles esperam ainda que o projeto contribua para a conscientização dos impactos de pilhas e baterias de pequenos dispositivos sobre o meio ambiente.

“Os jogos sustentáveis serão uma realidade, e demos um grande passo nessa direção ao nos livramos completamente das pilhas”, disse o coautor do projeto Przemyslaw Pawelczak, da Universidade de Tecnologia Delft. “Com a nossa plataforma, queremos fazer uma declaração de que é possível fazer um sistema de jogo sustentável que traga diversão aos usuários”.

Via: TechxPlore