EnglishPortugueseSpanish

A startup norte-americana Aeva anunciou nesta terça-feira (8) uma parceria com a fabricante de peças automotivas alemã ZF Friedrichshafen (ZF) para produzir sensores de direção autônoma.

A companhia desenvolve dispositivos baseados na tecnologia Lidar, que mede distâncias entre objetos a partir de sistemas de luz laser. O recurso permitirá a softwares de carros autônomos analisarem, em proporção tridimensional, os obstáculos ao redor de veículos.

publicidade

De acordo com a agência de notícias Reuters, o sensor da Aeva emprega uma tecnologia de onda contínua modulada, ou FMCW, que é capaz de detectar a velocidade de objetos distantes. O sistema promete diferenciar obstáculos ‘estacionados’, como árvores, de pedestres e veículos em movimentos.

A companhia será responsável por desenvolver as funcionalidades, a performance e o algoritmo dos sensores, enquanto a ZF vai produzir modelos do dispositivo que atendam aos requisitos de montadoras de automóveis.

O chefe-executivo da Aeva, Soroush Salehian, afirmou à Reuters que a expectativa é iniciar a fabricação dos radares entre 2023 e 2024. O produto chama atenção por ser constituído de equipamentos baseados em semicondutores de silício padrão, em vez de outros componentes mais caros. Segundo Salehian, o foco da empresa é a criação de produtos comercialmente viáveis a curto prazo.

Já o vice-presidente executivo de soluções de mobilidade autônoma da ZF, disse em comunicado que a empresa pretende usar a tecnologia e a experiência da Aeva para aprimorar a capacidade de produção em massa de sensores ópticos automotivos. Ele ressalta que a intenção é desenvolver uma plataforma que seja referência para essa categoria de produto no mercado.

Iniciativas

Em janeiro, a empresa alemã Bosch anunciou que havia desenvolvido um sistema lidar de baixo custo para carros autônomos. A companhia apresentou o produto durante a CES 2020, com a promessa de que a tecnologia será capaz de detectar objetos em faixas de curta e longa distância em rodovias e centros urbanos, assim como funcionará em conjunto com sistemas de câmera e radares da empresa.

Algumas montadoras já divulgaram planos para adotar a tecnologia. É o caso da Volvo que, em maio, divulgou uma parceria com a startup Luminar com o objetivo de inserir sistemas Lidar na plataforma de direção autônoma dos carros da companhia até 2022. Por outro lado, o Lidar não atrai o interesse da Tesla, montadora norte-americana liderada pelo bilionário Elon Musk.

Em abril o ano passado, o executivo classificou a proposta de baratear a produção de dispositivos Lidar como “uma tarefa tola”. Ele disse que a tecnologia era muito cara e que qualquer pessoa que confiava nesse tipo de sensor estava “condenada”. O sistema de direção autônoma da Tesla funciona por meio de câmeras e radares.

Via: Reuters