EnglishPortugueseSpanish

A pandemia da Covid-19 mudou – talvez permanentemente – a forma como trabalhamos. O CEO da Alphabet e sua subsidiária Google, Sundar Pichai, parece concordar que as coisas não serão as mesmas quando a empresa voltar à rotina. De acordo com uma entrevista publicada pela revista TIME na última quarta (23), o executivo estuda implementar um regime “misto”, onde funcionários não iriam ao escritório todos os dias, executando suas funções em home office.

Pichai está baseando sua análise em uma recente pesquisa que o Google conduziu com seus colaboradores. A empresa perguntou como eles esperavam – ou gostariam – que fosse a rotina de trabalho uma vez que a pandemia atual acabasse: 62% dos respondentes afirmaram o desejo de voltar ao escritório, mas não todos os dias.

publicidade

Por causa disso, o CEO já deu início a diversas novas diretrizes, incluindo reformas e nova decoração de escritórios da empresa e a aquisição de soluções que facilitem o trabalho remoto a longo prazo: “Eu enxergo um futuro mais flexível”, disse Sundar Pichai à TIME. “Nós acreditamos firmemente que estar lá pessoalmente, estarmos juntos e termos um senso de comunidade é super importante quando precisamos resolver problemas difíceis e criar algo novo, então isso não vai mudar. Mas nós também estamos precisando criar uma maior flexibilidade e modelos mais híbridos.”

“Flexibilidade” parece ser, aliás, a visão de todo o Vale do Silício no que tange ao retorno ao trabalho pós-pandemia: o próprio Google deu aos seus funcionários a opção de trabalhar de casa até julho de 2021, enquanto empresas como Facebook asseguraram a continuidade do trabalho remoto até o ano que vem e o Twitter afirmando que, se assim desejassem, seus colaboradores poderão trabalhar de casa “para sempre”.

A pesquisa conduzida pelo Google ainda trouxe outros números: 10% dos empregados não querem voltar ao escritório em nenhum momento no futuro, enquanto 15% responderam que retornariam apenas para ocasiões especiais, como eventos, reuniões de diretoria e confraternizações.

Reprodução

Trabalhar de casa tornou-se uma imposição devido à pandemia do novo coronavírus, porém empresas começam a abraçar o novo regime como algo mais definitivo. Imagem: Julia Cameron/Pexels

Vale citar que, dos respondentes, há quem ainda esteja almejando o retorno diário ao escritório (convenhamos, o Google oferece até chefs para refeições como um de seus muitos benefícios), mas a pesquisa majoritariamente ressaltou a preferência pela flexibilidade. Dos que querem voltar, os motivos também são variados: a capacidade de socializar com os colegas pessoalmente, oportunidades mais imediatas de colaboração e soluções mais práticas de problemas.

“Eu sempre paro para pensar [nisso] — quando eu vejo pessoas tomando o transporte público por duas horas e estando longe de suas famílias e amigos em uma sexta-feira, eles não conseguem criar planos”, disse Pichai durante a entrevista. “Por isso, eu acho que podemos fazer mais.”

Fonte: TIME