EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A SoftBank detalhou nesta semana planos para levar o robô Servi, da Bear Robotics, aos restaurantes japoneses, em um esforço para resolver os problemas com mão de obra no país causados pela pandemia de Covid-19.

Custando US$ 950 mensais, como parte de um plano de leasing de três anos, o robô deve chegar ao Japão em janeiro. Ele é uma estação de serviço móvel projetada para substituir ou complementar a equipe de garçons em um restaurante. Cada unidade é capaz de carregar duas bandejas e tem uma gaveta para recolher pratos.

publicidade

Os robôs tem um sensor Lidar (radar laser) para navegação e uma tela sensível ao toque, e também podem ser operados remotamente via tablet. Cada sistema é capaz de operar por oito a 12 horas, de acordo com as especificações divulgadas pela Bear. O design é simples e funcional, sem apelar para as formas humanóides do robô Pepper, da Softbank Robotics, ou o design quadrúpede do Spot, da Boston Dynamics, ambas empresas pertencentes à Softbank.

Robôs em toda parte

Em julho a Softbank usou robôs de suas subsidiárias para animar partidas de seu time de baseball, os Softbank Hawks, no estádio Fukuoka PayPay Dome. Eles foram instalados em um palco especial, onde dançaram ao som do tema da equipe e fizeram coreografias especiais a cada vez que o time marcava um ponto.

Reprodução

Robô Pepper torcendo pelos Softbank Hawks.

publicidade

Além de animar torcidas, o cão robô Spot pode ser usado em uma ampla variedade de tarefas. Ele é ágil o suficiente para subir escadas e atravessar terrenos acidentados com facilidade, e pequeno o suficiente para circular em ambientes fechados. O robô pode transportar até quadro módulos de hardware nas costas, o que significa que as empresas podem substituir ou completar habilidades para que ele realize um trabalho específico.

Nos EUA ele pode ser adquirido por US$ 74.500 (cerca de R$ 420 mil) à vista, valor que inclui acesso a um kit de desenvolvimento de software. Todos os pedidos estarão sujeitos aos Termos e Condições de Venda da companhia, que incluem, entre outras exigências, “o uso benéfico de seus robôs”.