EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O CEO da Apple, Tim Cook, vai receber uma recompensa generosa pelo seu desempenho como líder. De acordo com documentos enviados à Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC), o executivo ganhará uma gratificação que pode lhe render até US$ 114 milhões (R$ 643 milhões) em ações da empresa até 2025. 

O benefício prevê dois lotes com 333.987 ações cada. O primeiro será concedido em três partes, uma vez por ano, de 2023 a 2025. O segundo passa a valer em outubro de 2023, e pode dobrar se a performance do CEO à frente da companhia for considerada satisfatória. 

publicidade

Isso significa que, ao todo, Tim Cook pode chegar a 2025 com cerca de 1 milhão de ações da Apple (333 mil + 666 mil). A quantia estimada de US$ 114 milhões leva em conta que cada papel valia US$ 114,09 na terça-feira (29). 

Contudo, é improvável que o preço das ações continue o mesmo até lá. O motivo é simples: se a condição para que o pacote seja dobrado é o bom desempenho da empresa, é claro que isso implica a valorização da Apple no mercado. É uma via de mão dupla, já que papéis mais caros significam mais dinheiro no bolso de Tim Cook.   

Reprodução

Desempenho de Tim Cook à frente da Apple pode lhe render US$ 114 milhões até 2025. Imagem: Laura Hutton/Shutterstock

publicidade

Talento reconhecido

A gratificação sugere que a Apple não está disposta a perder Tim Cook para a concorrência nos próximos anos. Não por acaso, o perfil do executivo como líder é bastante elogiado pelo conselho administrativo da empresa.   

“Tim trouxe inovação e foco incomparáveis para seu papel como CEO e demonstrou o que significa liderar com valores e integridade”, afirmou a gigante de Cupertino em um comunicado. “Pela primeira vez em quase uma década, estamos concedendo a Tim um novo pacote de ações em reconhecimento de sua liderança excepcional e com grande otimismo para o futuro da Apple enquanto ele leva seus esforços adiante”. 

As ações são a principal remuneração de Cook, embora ele também receba salário e um bônus anual. Segundo a CNBC, os valores embolsados pelo CEO em 2019 passam de US$ 10 milhões para cerca de US$ 125 milhões quando se considera o pagamento em ações. 

A última concessão de papéis a Tim Cook foi feita em 2011, quando ele tornou-se CEO. À época, o pacote era estimado em US$ 384 milhões, mas acabou valendo mais, visto que as ações da Apple subiram significativamente desde então. Com validade de 10 anos, esta leva expira em 2021, e o executivo afirmou que planeja doar o valor recebido para instituições de caridade. 

Via: CNBC