EnglishPortugueseSpanish

Cerca de dois anos, o Google criou a tecnologia “Looking to Listen”, que emprega inteligência artificial para a eliminação de ruídos em vídeo, melhorando a qualidade sonora do material. Hoje (2), a empresa de Mountain View disponibilizou a ferramenta para usuários e criadores de conteúdo que usam o YouTube Stories. Mas há uma pegadinha: somente usuários de plataformas iOS é que contam com o recurso.

A tecnologia Looking to Listen estabelece a correlação entre a faixa de áudio reproduzida e os movimentos vistos em vídeo, detectando o que parece corresponder ao conteúdo previsto e eliminando o que lhe parece genérico ou aleatório. Trocando em miúdos, é uma plataforma capaz de “ler”, por exemplo, os movimentos da boca de quem está no vídeo e identificar sons similares às palavras que essa leitura oferece. Tudo o que for diferente disso – barulhos do ambiente ou portas fechando, cães latindo – é eliminado ou reduzido.

publicidade

Mais além, o recurso é capaz de identificar outros fatores, como barba, tom da pele ou idioma, ajustando-se de acordo. O Google explicou como essa tecnologia vem se aprimorando ao longo dos anos, mencionando benesses como o processamento ser conduzido diretamente no dispositivo do usuário (eliminando a necessidade de um servidor próprio para isso) e a extração de thumbnails com rostos, a fim de que a análise de áudio comece antes mesmo do vídeo ser enviado ao YouTube.

Segundo o Google, a tecnologia Looking to Listen precisa de um ou dois segundos para processar o áudio de um story de 15 segundos, então é fácil dizer que, além de intuitiva, ela é bem veloz. A empresa afirma que, nos últimos anos, o tamanho de um arquivo que usa essa função foi reduzido de 120MB para 6MB.

Reprodução

YouTube Stories conta com nova função de cancelamento de ruído via inteligência artificial. Imagem: ThaisCeneviva/Shutterstock

Criadores que quiserem usar a plataforma Looking to Listen precisam apenas acioná-la no menu de controle de volume do YouTube, desde que o faça de um dispositivo iOS. Ainda não há informações sobre quando a funcionalidade chegará ao Android.

Fonte: Engadget