EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Hoje (6), o Google anunciou uma mudança na marca de sua suíte de produtos para escritórios: o antigo “G Suite” agora responde como “Google Workspaces”. Junto dessa reformulação, a empresa de Mountain View também alterou a logomarca de alguns de seus softwares mais icônicos – como é o caso do Gmail.

Você deve lembrar que, até agora, a plataforma de e-mails do Google era representada por ícone no formato da letra “M” com o desenho de um envelope por trás. O Google agora deu fim à parte do envelope, ficando apenas com a letra, mas mudando seu esquema de cores, desta vez representado pelos característicos azul, vermelho, amarelo e verde. Veja a representação no vídeo divulgado pela empresa, a seguir:

publicidade

Com o novo esquema de cores, o Gmail aproxima a sua identidade visual de outras marcas já conhecidas do Google, como o GPS Maps, o browser Chrome e o agregador Photos – todos estes possuem a mesma paleta de cores. A empresa chegou até a considerar remover o tom vermelho por completo, mas pesquisas de usuário mostraram que isso não seria muito bem recebido pelo público. Em contrapartida, a maioria dos respondentes da pesquisa afirmaram que o envelope era a parte menos notável do ícone do Gmail.

Reprodução

Nova logo do Gmail reflete reformulação de marca do Google e deixa mais parecido com Chrome, Fotos, Maps e outros apps. Imagem: Google/Divulgação

publicidade

A reformulação de produtos do Google tem um objetivo específico: tornar a suíte de aplicações de escritório em nuvem (categoria onde se encontram o Docs, Sheets, Slides, o Gmail, o Meet e diversas outras plataformas similares) mais atraente para clientes corporativos. O uso destas ferramentas é liberado de forma gratuita por qualquer um, mas empresas que pagam por assinatura dos planos do Google gozam de benefícios exclusivos.

A ideia de criar uma carteira robusta de clientes corporativos nesta plataforma reflete a ambição do Google de criar mais uma fonte de receita que seja separada da publicidade digital (“advertising”) e da busca orgânica (Google Search): estes dois últimos, hoje, correspondem à maior parte do faturamento anual da empresa.

Segundo o Google, o Workspaces já soma mais de 2 bilhões de usuários mensais.

Fonte: The Verge