Para tirar essa dúvida, primeiro vale destacar que o Edge Chromium, assim como diversos navegadores populares, trabalha com arquitetura multithread, ou seja, o browser da Microsoft foi desenvolvido justamente para lidar com diversas tarefas ao mesmo tempo.

Atualmente, o Google Chrome e Mozilla Firefox, também trabalham da mesma forma. Porém, lidar com vários processos ao mesmo tempo, demanda recursos como memória RAM e processamento. Portanto, o software cria uma série de processos diferentes para tornar a experiência de navegação mais estável e segura.

publicidade

Imagem: Monticello/ShutterstockNovo Microsoft Edge baseado em Chromium está pronto para lidar com diversos processos em tempo real. Imagem: Monticello/Shutterstock

Digamos que uma única guia esteja aberta com algumas extensões ativas. Somente nesse cenário hipotético, uma série de processos precisam ser executados. Um para o navegador em si, outro para a renderização de elementos da página feitos pela GPU da máquina, caso o site demande a execução de algum plug-in, e por fim, uma nova tarefa de execução por cada extensão instalada no browser.

Levando esses fatores em consideração, podemos perceber que uma única página na web pode se multiplicar rapidamente em várias tarefas extras quando diversas abas são abertas ao mesmo tempo.

Como se dividem esses processos?

De maneira geral, os processos em execução, gerados por um navegador com arquitetura multithread, podem ser divididos em:

  • Processos do navegador: dedicados a gerenciar janelas e guias, além de diferentes botões de controle na interface, como a barra de endereço e o botão Voltar;
  • Renderização: esses controlam a renderização do código do site (HTML, CSS, JavaScript e imagens) e como a página será exibida no browser;
  • GPU: algumas tarefas são repassadas para a placa gráfica da máquina, ajudando na renderização mais rápida das páginas;
  • Utilitários de processo: responsáveis por tarefas como reprodução de áudio, serviços relacionados a rede, decodificação de dados dentre outros;
  • Crashpad: como o nome já diz, essa tarefa “conversa” com cada processo em andamento no Edge. Capturando e transmitindo em tempo real para a Microsoft relatórios de falhas.

Porque não utilizar um único processo por guia?

O fato de executar diferentes tarefas ao mesmo tempo, tem justificativa. A principal delas é a segurança. Tenha em mente que cada um desses processos mencionados anteriormente funcionam de forma isolada.

Na prática, se alguma ameaça for direcionada a uma extensão, por exemplo, esse arquivo malicioso ficará restrito apenas àquela tarefa. Dessa forma, dificilmente um vírus ou malware conseguirá infectar, ou tomar o controle total do sistema, já que cada processo trabalha de forma individual.

Imagem: Microsoft Edge/ReproduçãoSe estiver executando o Edge Chromium, basta apertar SHIFT + ESC para ter acesso ao gerenciador de tarefas do browser. Imagem: Microsoft Edge/Reprodução

 

Outra vantagem fica por conta da estabilidade extra. Se um determinado plugin travar, apenas um processo em execução será afetado. Em vez de todo navegador travar ou até fechar, as outras guias e abas continuam funcionando sem problemas.

Por fim, trabalhar dessa maneira permite que o usuário tenha mais controle no gerenciamento de recursos da sua máquina. Acessando o gerenciador de tarefas do navegador, é possível ver na prática todas as atividades em execução, além de descobrir quais sites consomem mais recursos.

Via: Genbeta