EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O jogo mais esperado de 2020 sofreu mais um atraso. Nesta terça-feira (27), a CD Projekt Red anunciou que o game “Cyberpunk 2077” não será mais lançado em novembro, mas sim em dezembro, no dia 10. É um atraso de três semanas no lançamento.

Em anúncio feito nas redes sociais, a empresa informa que o atraso é resultado do grande número de plataformas para as quais o jogo será lançado, que faz com que a equipe precise testar a compatibilidade de nove versões do título, incluindo:

publicidade
  1. Xbox One
  2. Xbox One X
  3. PS4
  4. PS4 Pro
  5. Xbox Series X
  6. Xbox Series S
  7. PS5
  8. PC
  9. Stadia

O fato de a estar equipe trabalhando remotamente em decorrência da pandemia de Covid-19 também não ajuda, informa o comunicado.

A empresa também esclarece que, mesmo tendo alcançado recentemente a versão “gold master” do jogo, pronta para ser gravada em disco e distribuída ao público, isso não significa que o jogo estava finalizado. Após essa fase, ainda há um período para produção dos pacotes de correção que precisam estar prontos no dia do lançamento do jogo. Foi esse prazo que a CD Projekt Red errou.

O adiamento é mais um na longa saga de desenvolvimento do jogo, revelado ainda em 2012, quando os consoles dessa geração ainda sequer haviam sido lançados. Apenas durante a E3 do ano passado ele ganhou uma data de lançamento, inicialmente marcada para abril de 2020. Percebendo que o prazo não poderia ser cumprido, a empresa remarcou a data para 19 de novembro, e agora para 10 de dezembro.

A nova data também deve causar ainda mais transtornos entre os desenvolvedores da CD Projekt Red, que nos últimos tempos têm publicado várias reclamações anônimas sobre o “crunch” na empresa. O termo é comum na indústria para descrever a etapa final da produção de um jogo, em que normalmente os trabalhadores são sobrecarregados por várias semanas de horas extras e trabalho aos fins de semana. Com o tempo de desenvolvimento prolongado, é de se esperar ainda mais insatisfação entre os trabalhadores ao longo das próximas três semanas.