A Microsoft lançou uma atualização para o Skype que permite a realização de chamadas de vídeo com até 100 pessoas. A novidade está disponível apenas para os membros do programa insider, que recebem versões betas de produtos e atualizações, e ainda não tem data de lançamento para a versão estável do aplicativo.

Atualmente, o limite em uma chamada no Skype é de 50 pessoas. Com a atualização, esse número irá dobrar. Ainda assim, o número de participantes está bem abaixo dos 300 usuários permitidos no outro programa de conversas da empresa, o Teams.

publicidade

Chris Montgomery/unsplash

Skype é mais utilizado para fins não comerciais, como reuniões entre amigos ou familiares. Créditos: Chris Montgomery/Unsplash

O motivo da diferença pode ser explicado na finalidade dos aplicativos. Enquanto o Skype é mais voltado para o uso pessoal, o Teams, rival do Slack, é voltado para o meio empresarial, reunindo o máximo de pessoas possível para reuniões de trabalho e afins.

Além do aumento no número de participantes, a atualização também trouxe correções no programa. Segundo a empresa, foram corrigidos um erro na função “Sair” que congelava o aplicativo no Android, o desaparecimento de contatos favoritos, idioma mudando automaticamente para o inglês e um mau funcionamento nos botões de upload/download no Android.

Uso de aplicativos de comunicação aumentou durante pandemia

Com o isolamento social causado pela pandemia do Coronavírus e o consequente trabalho remoto, o uso de programas de chamadas de voz e vídeo disparou. De acordo com uma pesquisa da Betania Tenure Associados, 43% das empresas brasileiras adotaram o home office durante a pandemia.

Segundo a Microsoft, em março, o número de usuários diários do Skype chegou a 40 milhões. Já o seu programa mais voltado para o mundo corporativo, o Teams, chegou a registrar uma média de 2,7 bilhões de minutos em reuniões virtuais por dia também em março, um aumento de 200% em relação ao começo do mês.

David Martyn Hunt/Flickr

Com aumento no home office, uso de aplicativos de conversa online dispararam. Créditos: David Martyn Hunt/Flickr

Mesmo com vacinas surgindo e a normalidade voltando aos poucos, especialistas afirmam que essa nova maneira de trabalho pode permanecer, ao menos em parte. Com isso, o número de usuários das plataformas de conversas online pode não sofrer uma queda tão significativa, mesmo após o fim da crise.

Fonte: OnMSFT