EnglishPortugueseSpanish

A violência contra a mulher está em alta durante a pandemia da COVID-19, com relatos do tipo atingindo um crescimento de 22,2% de feminicídios no mês de julho, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Por isso, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) anunciou hoje (29) a expansão do serviço de denúncias 180, que agora passa a receber denúncias de violência doméstica também via WhatsApp.

Em uma transmissão ao vivo veiculada pelas redes sociais da pasta, a ministra Damares Alves foi acompanhada da promotora do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), Gabriela Mansur; e do ouvidor nacional de direitos humanos, Fernando Ferreira. O vídeo completo foi armazenado na página Direitos Humanos Brasil no Facebook e pode ser visto na íntegra a seguir:

publicidade

“As mulheres vão poder falar conosco de forma imediata [e ter] respostas imediatas, e além disso, nós trazemos um outro ingrediente, que é a economia”, disse a ministra Damares. “Nós vamos ter economia ao usar este aplicativo. Os outros canais, a chamada, a ligação… elas trazem um custo. E para nós do ministério, este custo será muito menor, então vamos economizar em nosso orçamento e ter mais eficiência, mais rapidez”.

Atualmente, os canais de atendimento à mulher vítima de abuso são o telefone 180 (Central de Atendimento à Mulher), o app Direitos Humanos e, agora, o WhatsApp, por meio do número (61) 99656-5008. Após adicionar o telefone na agenda do celular, as usuárias do serviço terão a primeira resposta vinda de um chatbot, que imediatamente passará o atendimento a um atendente humano, para quem a vítima ou pessoas próximas a ela possam detalhar o caso.

Mais além, o serviço também será incorporado ao serviço telefônico 100, que atende denúncias de violações aos direitos humanos.

publicidade

Fonte: MMFDH, via Facebook