EnglishPortugueseSpanish

O Brasil superou a marca de nove milhões de condutores com a versão digital da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Os dados foram divulgados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e mostram que, de fevereiro até outubro deste ano, o número de motoristas que optaram pela versão virtual do documento aumentou quase 80%.

Um dos fatores que pode ter ajudado a acelerar a popularidade do serviço foi a pandemia do novo coronavírus, que obrigou unidades presenciais dos departamentos responsáveis pela regulação de trânsito a fecharem as portas durante os períodos de isolamento social. 

publicidade

Reprodução

Documento é oficial e pode ser apresentado caso solicitado por agente de trânsito. Agência Brasil/Divulgação

Demorou, mas engatou

Ao todo, o número de usuários que possuem a carteira digital de trânsito (CDT), aplicativo que guarda a CNH, chegou a 9.116.328. Desde seu lançamento, em 2017, até fevereiro de 2020, tinham sido contabilizados apenas 5 milhões de usuários da versão virtual. Em todo o país, cerca de 45 milhões de motoristas possuem a CNH com QR code, item obrigatório para usar o serviço.

A validade da carteira, assim como outros itens digitais como o Certificado de Registro do Veículo (CRV) e o Documento Único de Transferência (DUT) passaram a integrar o texto do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em nova lei sancionada em outubro pelo presidente Jair Bolsonaro.

publicidade

Os documentos são oficiais e podem ser apresentados em caso de abordagens feitas por agentes de trânsito. A autenticidade da CDT é feita via QR Code. Porém, quem não estiver nem com a versão impressa do documento, nem com a versão virtual incorre em infração leve e está sujeito a multa de R$ 88,38, além de ter o veículo retido até que alguém com documento possa buscá-lo

Como obter a carteira digital de trânsito

  1. Instale o aplicativo “CDT – Carteira Digital de Trânsito” no seu celular, seja ele Android ou iPhone;
  2. Faça o cadastro selecionando “Entrar com gov.br”;
  3. Informe o CPF e, em seguida, crie uma senha de acesso. Caso não possua conta no Gov.br, será preciso criar uma para depois retornar ao aplicativo e clicar em “Entrar com gov.br”;
  4. Feito isso, faça o login e selecione a opção “Habilitação”, em seguida “Toque aqui para adicionar a sua CNH”.
  5. Há outros modos de autenticação, caso você não esteja com a habilitação em mãos, como “Validação pelo celular (facial), Certificado Digital (Pelo portal de serviços do Denatran) e a validação sem certificado digital (validação de balcão do Detran);
  6. Caso opte pela validação facial informe o CEP da época da emissão da CNH Física;
  7. Efetue a leitura do QR Code;
  8. Realize a validação facial e, por fim, informe o número do telefone que está utilizando.

 

 

Fonte:  Mobiletime, Serpro, Agência Brasil