Na noite desta quarta-feira (11), a plataforma de vídeos do Google, o YouTube, passa por instabilidade. Segundo o site Downdetector, 95% dos usuários relatam dificuldades em assistir qualquer conteúdo no site. Problema parece ser generalizado. 

A maioria das reclamações com relação ao serviço se concentra na reprodução de vídeos, entretanto, alguns usuários também reportaram dificuldade em acessar ao site e postar conteúdo. De acordo com o site Downdetector, as reclamações tiveram início às 20h57 (horário de Brasília). No momento, são mais de 256 mil registros reportando a interrupção. 

publicidade

O perfil TeamYouTube, conta dedicada a atualizações e respostas da equipe do YouTube no Twitter, confirmou a instabilidade no serviço em um tuíte: 

‘Se você está tendo problemas para assistir a vídeos no YouTube agora, não está sozinho – nossa equipe está ciente do problema e trabalhando para corrigi-lo. Seguiremos aqui com quaisquer atualizações’, diz a postagem. 

As áreas mais afetadas do globo são regiões da América do Norte, alguns países da Europa e também regiões do Brasil e países vizinhos. 

ReproduçãoMapa do site Downdetector aponta regiões onde serviço do YouTube enfrenta problemas nesta quarta (11). Imagem: Downdetector 

A queda no serviço de vídeos do Google se tornou um dos assuntos do momento na rede social. Usuários subiram a hashtag “#YouTubeDOWN” reclamando da impossibilidade de assistir aos conteúdos na plataforma. Alguns arriscaram até a possibilidade do site ter sido vítima de hackers.   

 

Atualização 11 de novembro de 2020, às 23h00: apesar de não ter sido reestabelecido integralmente no mundo, no Brasil, alguns usuários no Twitter relataram já poder reproduzir os vídeos normalmente no YouTube. 

 

 Atualização às 23h27: segundo o YouTube, site é normalizado.  

‘… E estamos de volta – lamentamos a interrupção. Isso foi corrigido em todos os dispositivos e serviços do YouTube, obrigado por ser paciente conosco’, diz um tuíte mais recente da conta TeamYouTube, postado às 23h15 (horário de Brasília), alegando a normalização do serviço. 

 

Ainda não se sabe qual foi a causa da interrupção. O Olhar Digital entrou em contato com o Google, mas até o momento do fechamento desta matéria, não obteve um posicionamento.