EnglishPortugueseSpanish

Estudo publicado pelo Banco de Compensações Internacionais, o BIS, revela que o Brasil concentra cerca de 50,5% dos negócios de fintechs na América Latina. Este número soma investimentos, negociações e financiamentos neste mercado.

O mercado brasileiro de fintechs movimentou, entre 2015 e 2018, um total de quase US$ 2,5 bilhões em acordos de investimento e outras negociações com startups financeiras. Este é o número mais expressivo entre os países da região, principalmente considerando a diferença para outros países: a Colômbia, que ficou na segunda colocação, atingiu pouco mais de um US$ 1 bilhão no período.

publicidade

O Brasil também lidera o número de negócios fechados neste mercado: são 222 acordos em cerca de quatro anos analisados. O México, que mais perto chegou, teve 100 negociações no mesmo período. Já o crédito total para o mercado teve grande crescimento, principalmente a partir de 2017, mais que dobrando desde então. “Entre 2017 e 2019, o investimento em fintechs cresceu mais de 100%, enquanto o número de acordos aumentou 28%.”, ressalta o estudo.

Reprodução

Fintechs conquistaram grande público pela desburocratização e por acesso viabilizado a crédito. Foto: Joyseulay/Shutterstock

O trabalho teve como escopo principal analisar o ecossistema das startups financeiras no contexto singular da América Latina. Ao mesmo tempo que se trata de uma região com carências estruturais em termos econômicos e de financiamento de mercados em desenvolvimento, trata-se de uma região com costume de adotar novas tecnologias com grande facilidade.

publicidade

Isto levou ao rápido crescimento do mercado, registrado principalmente no Brasil desde 2018. O modelo desburocratizado, aliado a taxas menores e facilidade de crédito atraiu mais pessoas a adotar instituições financeiras digitais em pouco tempo.

O estudo ressalta o rápido crescimento registrado pelo mercado de fintechs na região, o que tem clara relação com o desenvolvimento do mercado brasileiro. “Em 2019, a participação do investimento em fintechs e o número de negócios na América Latina foram, respectivamente, 1% e 4% do total global. Ainda assim, de 2017 a 2019 o investimento em fintech cresceu mais de 100%, enquanto o número de negócios aumentou 28%.”

Fonte: Exame