EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Em meio a notícias de golpes de Black Friday e vazamentos de credenciais de acesso, a preocupação do internauta com a proteção por meio de uma senha forte continua em baixa. Segundo levantamento da empresa de segurança Nordpass, velhas conhecidas de outros anos, como “12345” e “11111” novamente marcaram lideranças no ranking das 200 palavras-passe mais comuns utilizadas pelas pessoas.

Uma das novidades deste ano é a palavra “senha”, assim mesmo, em bom português, figurando entre as 10 primeiras, um pouco depois de sua contraparte em inglês, “password”. A esmagadora maioria das senhas listadas no ranking, segundo a Nordpass, foram quebradas com menos de um segundo de tentativa.

publicidade

Reprodução

Listagem da Nordpass revela as 200 senhas mais usadas em 2020. Situação é preocupante para especialistas em segurança. Imagem: Nordpass/Reprodução

publicidade

“A nossa lista detalha quantas vezes uma senha foi exposta, usada, e quanto tempo seria necessário para quebrá-la”, diz o trecho da publicação no site oficial da Nordpass. “Nós também a comparamos com as piores senhas de 2019, ressaltando como as posições mudaram ao longo do ano”.

E nessa parte, há um problema sério: a segunda colocada do ranking de 2019 – “123456” – ficou na primeira posição em 2020, ao passo que “111111” e “123123” saltaram, respectivamente, da 17ª para a sexta e da 18ª para a sétima posições. O entendimento é o de que as pessoas não apenas não estão prestando muita atenção no reforço de suas próprias senhas, mas também aumentaram o uso daquelas menos recomendadas, amplificando o potencial de falhas humanas de segurança.

“De acordo com a pesquisa, a maioria das pessoas usa senhas simples e fáceis de lembrar, por uma questão de conveniência. Mas o problema é que as senhas mais memoráveis são também as mais vulneráveis a invasões”, diz a Nordpass, que levantou também categorias onde encaixar a maior parte das palavras-passe levantadas, como “Entretenimento” (com senhas como “pokemon”, “batman” e “starwars”) e “Palavras positivas” (“iloveyou”, “princess” e similares).

As recomendações de construção de uma senha geralmente são enunciadas por plataformas no ato de criação de uma conta nova. O método mais básico é empregar uma senha que tenha a partir de oito caracteres e que misture-se em letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos gráficos (asterisco, acento etc.).

Entretanto, mesmo exemplos que obedeçam ou passem perto destas recomendações também figuram na lista da Nordpass, que viu “1q2w3e4r”, por exemplo, figurar entre as cinquenta mais identificadas.

Hoje, além da senha, a maioria das plataformas emprega o recurso de autenticação em dis fatores (popularmente referido como “2FA”). Resumidamente, ele pede que relacione um número de telefone celular ou um app gerador de códigos aleatórios ao seu perfil, a fim de que, após inserir a senha, você também tenha que informar um código numérico que muda a cada acesso.

Fonte: Nordpass