EnglishPortugueseSpanish

O lançamento de um dos filmes mais esperados deste ano, ‘Mulher Maravilha 1984’, ficou incerto durante um bom tempo por conta da pandemia do novo coronavírus. Mas — finalmente —, a sua data de estreia chegou: o longa será lançado dia 17 de dezembro nos cinemas brasileiros. Isto é, uma semana antes da estreia nos cinemas americanos e pela HBO Max, cuja estreia foi marcada para o dia 25 de dezembro.

Mas como ainda não há uma confirmação de quando o streaming da HBO Max chegará ao país, os brasileiros só poderão acompanhar a estreia nas salas de cinema.

publicidade

Nos Estados Unidos, os assinantes da HBO Max poderão acompanhar a estreia sem custo adicional, diferentemente de Mulan, outro esperado longa-metragem deste ano, cujo lançamento foi disponibilizado pela Disney+ à la carte, pela bagatela de US$29.99. 

De acordo com a assessoria da Warner no Brasil, ‘Mulher Maravilha 1984’ terá estreia antecipada em alguns cinemas brasileiros no dia 16 de dezembro. 

mulher-maravilha-1984-divulgacao.jpgEstreia de ‘Mulher Maravilha 1984’, sequência do longa de 2017, finalmente ganha data de estreia. Créditos: Divulgação

‘Mulher-Maravilha 1984’ acompanha Diana Prince (Gal Gadot) em 1984, durante a Guerra Fria, entrando em conflito com dois grandes inimigos: o empresário de mídia Maxwell Lord (Pedro Pascal) e a amiga que virou inimiga Barbara Minerva (Kristen Wiig). O longa também deve acompanhar o desenvolvimento do relacionamento da super-heroína com o seu interesse amoroso Steve Trevor (Chris Pine).

publicidade

Os cinemas e a pandemia 

Caso o mundo não estivesse enfrentando a pandemia do novo coronavírus, a Warner facilmente poderia abocanhar US$ 1 bilhão na bilheteria com a sequência. A título de comparação, o primeiro filme da saga lucrou mais de US$ 821 milhões, tornando-se o filme dirigido por uma mulher mais rentável da história. 

Entretanto, com o fechamento das salas do cinema, especialmente nos principais mercados americanos, como Los Angeles e Nova York, a expectativa de lucro cai drasticamente. 

No Brasil, os cinemas começaram a, timidamente, abrir suas portas. Mas caso haja um quadro de avanço da Covid-19, eles correrão o risco de fechar mais uma vez. De acordo com os dados do consórcio de veículos de imprensa, os casos do coronavírus aumentaram em 13 estados.