EnglishPortugueseSpanish

Cada dia mais, percebemos a importância dos dados digitais em nossa sociedade e em nosso dia a dia. No mundo corporativo então, essa importância aumenta ainda mais, já que muitas decisões estratégicas são tomadas com base em todas essas informações que, no caso de grandes empresas, são armazenados em servidores. 

Porém, sabemos que existem alguns problemas que geram grandes transtornos para o departamento de TI das empresas que é o gerenciamento de equipamentos internos, principalmente os servidores RAID, que são os mais sensíveis. E claro, esses problemas podem ocasionar na perda de dados e informações essenciais para o andamento das atividades de uma empresa. 

Pensando nisso, conversamos com o Bruno Ribeiro, especialista em recuperação de dados de servidores RAID e responsável pelo departamento especializado em RAID da HD Doctor. Bruno atua na área de recuperação de dados há 13 anos, possui experiência em todas as configurações de RAID e compartilhou conosco os principais problemas que podem ocasionar na perda de dados, casos inusitados de servidores que recuperou e ainda deixou algumas dicas para os gestores e técnicos que precisam contratar o serviço. Acompanhe a nossa entrevista: 

Reprodução

Bruno Ribeiro, especialista em recuperação de dados de servidores RAID da HD Doctor

P: Bruno, quais são as principais razões para perda de dados em servidores RAID? 

R: Os servidores RAID são, com certeza, os equipamentos mais críticos de toda a empresa por conta de todas as informações, muitas vezes sigilosas, que estão armazenadas ali. Entretanto, o cuidado com estes equipamentos muita das vezes é negligenciado e o resultado é a perda dos dados. Aqui vou listar os principais problemas que podem acontecer e que, eventualmente, irá ocasionar na perda dos dados: 

1 – Queima da controladora RAID;

2 – HD danificado;

3 – Estrutura RAID corrompida;

4 – Corrupção de sistema operacional;

5 – Corrupção do sistema de partição;

6 – Perda de sincronismo do array (RAID);

7 – Rebuild não concluído;

8 – Máquinas virtuais corrompidas;

9 – Banco de dados inacessíveis;

10 – Queda de energia;

11 – Erro humano;

P: Como está há 13 anos trabalhando na área, imaginamos que já tenha cuidado de centenas de casos de recuperação de dados RAID. Sendo assim, compartilhe conosco algum caso inusitado de recuperação de RAID que trabalhou. 

R: Me recordo de um caso de uma grande empresa estatal em São José dos Campos (SP) que tinham equipamentos de alta complexidade e dados sensíveis alocados nos servidores RAID. A empresa estatal havia levado para outras empresas de recuperação de dados, porém não tiveram sucesso. 

Quando comecei analisar o material, me deparei com todos os discos que compunham o RAID – eram 15 no total – zerados. Uma situação assustadora e acredito que tenha sido uma ação proposital por parte ele algum funcionário insatisfeito. As outras empresas de recuperação alegavam não ser possível alcançar o sucesso nesse caso. 

Contudo, após a análise, conversei com o solicitante do trabalho e pude perceber que o interesse dele estava em recuperar dados da segunda partição e este foi o meu ponto de partida. Montei a estrutura RAID, via desenvolvimento próprio, e conseguir recuperar 100% dos dados alvo do cliente. Inclusive, em seguida, recebemos uma ligação de nossos concorrentes nos parabenizando pelo sucesso obtido. 

Outro caso inusitado foi um equipamento RAID de uma contabilidade. Esse caso mexeu bastante com as minhas emoções pois, quando o cliente trouxe o servidor, me contou que se não recuperasse os dados que estavam ali poderia ter que fechar a sua empresa. 

Eu iniciei o processo de recuperação RAID e, em 1h de análise, já tinha o resultado da possibilidade de recuperação total dos dados. E, claro, que a primeira coisa que fiz foi ligar para o cliente e dar a notícia. Assim que desligou, ele já se apressou em trazer o novo dispositivo para a transferência dos arquivos recuperados e, quando ele chegou na empresa, me deparo com TODA A FAMÍLIA dele junto. Para completar, o que me assustou bastante, foi que o cliente tinha tido, recentemente, um derrame devido ao estresse causado pela perda dos dados e estava a metade do corpo, inclusive a face, paralisadas. 

Foi muito triste me deparar com aquela situação e cheguei até a chorar na frente cliente. Com tudo o que aconteceu, tomei a decisão de entregar os dados sem cobrar pela recuperação de dados do servidor RAID. Enfim, essas são algumas das histórias que me marcaram bastante ao longo dos anos. 

P: Como você já compartilhou conosco, chegam na HD Doctor diversos casos que outras empresas não conseguiram recuperar, mas que a sua equipe conseguiu alcançar um resultado positivo. Por que você acha que isso acontece? 

O mercado de recuperação de dados é extremamente competitivo. Temos em nosso ramo boas empresas, mas também aquelas que, infelizmente, destroem o mercado de recuperação de dados. 

Já participei de vários casos de recuperação de dados que eram extremamente fáceis, mas que outras empresas não conseguiram. Isso me faz acreditar que as empresas deixaram de investir em inovação e optaram pelo “ostracismo tecnológico”. Abandonaram o desejo de criar soluções personalizadas para cada tipo de caso. 

Aqui, na HD Doctor, temos uma equipe de engenheiros e desenvolvedores dedicados a criar soluções, pois acreditamos que a inovação em todos os âmbitos precisa ser o nosso principal objetivo. Estamos equipados com o que existe de mais moderno no mercado de recuperação de dados, justamente para que a nossa equipe tenha um ritmo sustentável em criações de novas tecnologias. 

A grande falha nas empresas de recuperação de dados é não investir na qualificação dos seus técnicos e em equipamentos de ponta. A HD Doctor, está, confortavelmente, na vanguarda quando o assunto é desenvolvimento de novas tecnologias e credibilidade no mercado. Uma das poucas empresas que possui um departamento exclusivo para recuperar servidor RAID, atendimento totalmente customizado e o melhor prazo para a recuperação dos dados. 

P: Bruno, o que você acha que é importante que os gestores e técnicos de TI observem antes da contratação de um serviço de recuperação de dados de RAID? 

R: Analisar uma empresa de recuperação de dados parece ser algo fácil, mas não é. Existem empresas de recuperação de dados que são “boas” em marketing, mas péssimas em capacidades técnicas. Tendo isso em mente, antes de contratar os serviços para recuperar dados RAID, observe os seguintes critérios: 

1. Quais são as empresas que já utilizaram o serviço, são empresas grandes? 

2. A empresa está de acordo com a LGPD (Lei Geral de Proteção dos dados)? 

3. Pesquise na Internet o que andam falando sobre a empresa. Veja as avaliações nas redes sociais e no Google. 

4. Avalie o conteúdo do site e observe o nível técnico por meio do blog. 

5. Converse pelo telefone com a equipe, veja o nível da conversa e a disponibilidade para atendê-lo. 

6. Atendimento é 24×7? 

7. Existe clareza nas informações? 

8. Infraestrutura: a empresa possui laboratório especializado em recuperação de dados? Possuem equipes e departamentos específicos? Permitem visita do cliente ao Laboratório?

Essas são apenas algumas das recomendações que sempre faço. A HD Doctor, preocupada em oferecer um serviço de qualidade, observa sempre todos esses aspectos e investe pesado no treinamento constante de toda a equipe para oferecer sempre ao nosso cliente um serviço de excelência. 

Agradecemos muito por essa conversa super esclarecedora e acreditamos que os profissionais de TI e até mesmo os gestores responsáveis, pensarão duas vezes antes de enviar um servidor para recuperação de dados para uma empresa qualquer. Para saber mais sobre a HD Doctor e o serviço de recuperação de dados, entre em contato pelo 0800 607 8700. Atendimento personalizado 24h. Assista o vídeo e entenda por que a HD Doctor é REFERÊNCIA NACIONAL em recuperação de HDs, SSDs, cartões de memória, servidores RAID e dispositivos criptografados: