A Microsoft confirmou a remoção de cinco extensões da loja do seu navegador oficial, o Microsoft Edge. A medida veio após diversos relatos de usuários apontarem que buscas feitas pela barra de endereços do browser estavam sendo redirecionadas para outros sites.

 
Segundo a Microsoft, as cinco extensões identificadas correspondem a versões falsas de aplicativos e recursos populares, mas têm como propósito escondido, compartilhar malwares para o usuário. Desde o último fim de semana, qualquer tentativa de acesso às extensões – seja pela loja do Edge ou pela página de desenvolvedor de cada uma – passou a resultar em erro de página não encontrada.
 

O mesmo problema aconteceu com a empresa em maio e agosto deste ano, quando a Microsoft identificou diversas extensões que, após análise, foi constatado que injetavam códigos maliciosos nas páginas visitadas pelos internautas – algumas, apenas para gerar anúncios publicitários específicos e criar renda; outras, para roubar informações como credenciais de acesso.

publicidade