EnglishPortugueseSpanish

Após a realização da Black Friday 2020, o Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA) conduziu levantamento de mercado que concluiu: o comércio eletrônico dominou a preferência dos compradores online, com o setor avançando 21,2% sobre o mesmo período em anos anteriores. O índice geral, porém, aponta uma retração do varejo, na casa de 14,5%.

Segundo o índice, as vendas físicas foram as mais impactadas. O chamado “varejo presencial”, ou seja, o processo de compra onde um cliente vai até a loja e sai dela com o produto, caiu 25% em vendas – algo que o ICVA atribui ao avanço da Covid-19. Desde março, a pandemia tem impactado negativamente o comércio geral. A alta do comércio eletrônico também pode ser atribuída – em parte – pela pandemia.

publicidade
Comércio eletrônico liderou o volume de compras puxados pela Black Friday 2020, enquanto o varejo tradicional apresentou forte recuo, segundo o ICVA. Imagem: Daniel Krason/Shutterstock

“Desde o início da pandemia, com as medidas de isolamento, as pessoas buscaram o e-commerce para realizar compras. Essa mudança de comportamento se reflete nos resultados da Black Friday, uma data tradicionalmente mais forte nesse canal” disse Gabriel Mariotto, superintendente executivo de inteligência da Cielo, em comunicado divulgado à imprensa.

Dividindo os números por setor de atuação, o destaque ficou para a compra de materiais em construção, que trouxe alta de 9,9% ano a ano. Na outra ponta do espectro, o mercado de turismo teve retração de 50,7% se comparado ao mesmo período em 2019. Em termos nominais, o faturamento total da Black Friday 2020 (26 e 27 de novembro) caiu 8,6%, com o varejo físico retraindo 17,5% e o ecommerce avançando 25,7%.

Fonte: Reuters