EnglishPortugueseSpanish

Instituto de Defesa do Consumidor estuda ação contra WhatsApp

Redação 11/01/2021 21h14, atualizada em 11/01/2021 21h29

O Instituto de Defesa do Consumidor, o Idec, pretende tomar medidas contra a nova política de privacidade do WhatsApp.

O mensageiro promete suspender contas de quem não aceitar compartilhar dados com o Facebook a partir do dia 8 de fevereiro.

publicidade

Quem não der o “ok” vai ficar com a conta desativada e só poderá voltar a usar o aplicativo quando mudar de ideia.

O objetivo do Idec é garantir que, mesmo sem concordar com a nova política do WhatsApp, os usuários possam continuar utilizando a plataforma no Brasil.

Segundo o instituto, o mensageiro deveria oferecer uma alternativa viável para quem não concorda com seus novos termos. O tema será avaliado pelo Idec no decorrer desta semana.

O WhatsApp já registra uma série de dados, como interações entre usuários, fotos de perfil e informações sobre dispositivos.

De acordo com o Facebook, a ideia é que as pessoas tenham cada vez mais facilidade para comprar e conseguir suporte de uma empresa, diretamente na plataforma.

Os novos termos de privacidade do aplicativo receberam reação negativa de personalidades da indústria de tecnologia.

Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, sugeriu a migração para o Signal, concorrente do WhatsApp com foco em privacidade e segurança.

O mensageiro, aliás, aproveitou a oportunidade para alfinetar. Em seu perfil no Twitter, garantiu que nunca haverá anúncios no Signal, porque os dados ficam nas mãos dos usuários, não nas da empresa.

Para quem quiser encontrar uma alternativa ao WhatsApp, nós preparamos uma lista com mensageiros que não obrigam o compartilhamento de dados. É só acessar olhardigital.com.br.